José Cláudio Ribeiro da Silva e sua esposa, Maria do Espírito Santo, foram assassinados hoje nas proximidades de Nova Ipixuna (PA). As informações ainda são desencontradas, mas dão conta de que o casal foi morto em uma ponte a cerca de 8km de onde moravam. Estavam indo para a cidade por volta das sete e meia da manhã. Foram alvejados por dois homens em uma emboscada, com tiros de escopeta, revolver calibre 38 e pistola 380. Os dois faleceram no local e José Cláudio teve uma orelha cortada.

José Cláudio (Zé Castanha, como era conhecido) tirava o sustento de sua família da coleta de castanhas. O casal vivia há 24 anos no município e era integrante do Conselho Nacional das Populações Extrativistas (CNS), ONG fundada por Chico Mendes. As denúncias contra madeireiros e carvoeiros que extraíam madeira ilegalmente na região renderam muitas ameaças de morte a ambos.

José procurou informar diversos órgãos e organizações sobre seu caso. Seu testemunho foi documentado pelo Greenpeace em uma viagem de campo ao Pará:

 

Hoje, dia de votação do Código Florestal na Câmara, o deputado Sarney Filho mencionou o crime e pediu, aos presentes à sessão que pareciam pouco interessados no tema, mais respeito à memória dos camponeses. Segundo o Planalto, a presidente Dilma Roussef soube do assassinato e pediu, ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que tomasse providências necessárias junto à Polícia Federal.

O caso foi notícia na capa do jornal inglês The Guardian.

O povo da floresta aguarda ansioso que a impunidade não impere.