Na semana passada, ciclistas foram impedidos pela polícia de protestar pacificamente em Taboão da Serra. Eles cobravam da Prefeitura uma justificativa plausível sobre o porquê da desativação da ciclovia na região. Sim, uma justificativa plausível, porque a oferecida até então pelo prefeito Fernando Fernandes (PSDB-SP) não convence: de que como a ciclovia terminava na Av. Eliseu de Almeida, em São Paulo, onde não há ciclovia, não haveria necessidade de uma ciclovia em Taboão também.

Apesar da retaliação, os ciclistas voltaram a ocupar as ruas no dia 3, última terça-feira, para tentar novamente um diálogo com o prefeito. Dessa vez – talvez pela repercussão que a reação da polícia e dos governantes teve, a recepção foi diferente. Ao entrarem na Câmara Municipal de Taboão da Serra, os manifestantes foram recebidos pelo vereador Eduardo Nóbrega (Presidente da Câmara), que acolheu o pedido do grupo para que o prefeito e o secretário de transportes prestem esclarecimentos à população em audiência pública a ser realizada em no máximo 30 dias.

Sobre o outro pedaço da história – ou da ciclovia, o subprefeito do Butantã, Luiz Felippe Moraes Neto, apresentará, hoje, na reunião da Frente Parlamentar em Defesa da Mobilidade Humana, o seu projeto de implantação.

Participe da reunião e dê sua opinião:

Câmara Municipal de São Paulo
Dia 5 de setembro de 2013 (quinta-feira), a partir das 18h
Viaduto Jacareí, 100 – Sala Luís Tenório de Lima (1º subsolo)