Marcelo Mesel, Jorgo Riss, Paulo Adário e Guarany Osório. Foto: Greenpeace / Lunaé Parracho

Assunto do dia: aquecimento global.

Mesmo sendo um dos tópicos mais discutidos atualmente, somente falar do aquecimento global não significa encontrar alternativas para evitar suas consequências. É justamente por isso que reunimos no navio entidades que atuam localmente em Pernambuco pelo nosso planeta, para analisar o que a ciência nos diz sobre as mudanças climáticas e debater as propostas de combate ao aquecimento global na região.

Guarany, nosso coordenador da campanha de clima, contextualizou os visitantes sobre a questão do aquecimento global e foi seguido por Paulo Adário, da campanha da Amazônia, que mostrou a importância da nossa maior floresta tropical no equilíbrio climático do continente. Jorgo Riss, diretor da unidade política do Greenpeace União Européia, mostrou bons exemplos da utilização de matriz energética renovável nos países europeus, sobretudo na Alemanha, e as vantagens econômicas e ambientais que se pode obter com a utilização desse tipo de energia. Depois, Laura Valente, do ICLEI, mostrou a importância de se criar uma rede mundial de governos locais engajados em ações para proteção do clima e Marcelo Mesel, da Sociedade Nordestina de Ecologia, apresentou estudos mostrando os impactos causados pelo aumento da temperatura média do planeta no estado de Pernambuco (especialmente em Recife e Olinda).

Também foi consenso que o Nordeste deve implementar sistemas de monitoramento dos biomas da região e desenvolver um mapa de vulnerabilidade, para então criar um plano de medidas de adaptação já que pequenos aumentos na temperatura média do planeta causarão grandes problemas para o território nordestino.

Iniciativas regionais, como as vistas hoje aqui no Arctic Sunrise, são fundamentais para o futuro do planeta. O esforço coletivo e a compreensão de que não há isolamento no que diz respeito ao aquecimento global são a chave para salvarmos o clima.