Nesta segunda-feira (27), ativistas do Greenpeace, incluindo a diretora executiva da organização, foram brevemente detidos após protesto pacífico realizado na maior refinaria da gigante petrolífera francesa Total, na Bélgica, contra exploração de petróleo nos Corais da Amazônia

Ativistas escalaram a coluna de flare da refinaria para pedir que a Total não destrua o recife de Corais da Amazônia

 Logo cedo pela manhã, mais de 40 ativistas de sete países escalaram uma chamine e uma grande coluna de flare na maior refinaria da empresa, no porto da Antuérpia, o coração das suas operações na Bélgica. Eles desdobraram um banner com a mensagem: “Total, não destrua o recife”. Já em um dos tanques de combustível da companhia, os ativistas-escaladores colocaram uma grande imagem dos Corais da Amazônia. A ação foi transmitida ao vivo pelo Facebook – confira aqui.

 

Ativistas-escaladores em ação na chaminé da refinaria da Total, na Bélgica.

  

Eles também mostraram uma instalação de arte projetada pelo renomado artista de rua Bonom (nome verdadeiro Vincent Glowinski), antes de manchá-la com 'óleo'; o mesmo destino que poderia atingir os Corais da Amazônia, em caso de vazamento de petróleo.

Ao deixar a delegacia, depois de ter sido detida por duas horas, a diretora executiva do Greenpeace Internacional, Bunny McDiarmid, comentou que a demonstração não-violenta pacífica é a única maneira de conectar publicamente a maior refinaria da Total, na Antuérpia, ao recife de corais, na costa da Amazônia, sob ameaça do projeto de exploração da Total. “Não é mais a distância de um mundo. Protesto não violento deve ser a norma para conter a implacável indústria de combustíveis fósseis, determinada a destruir o nosso planeta em prol do lucro. O movimento contra os combustíveis fósseis está crescendo em todo o mundo, se acostumem a ele”, afirmou.

Os ativistas também escalaram um tanque de combustível da Total.

 

A imagem dos Corais da Amazônia foi estampada no tanque de combustível da Total

 

Sede da Total tingida de preto

Simultaneamente à ação na Bélgica, nossos ativistas também fizeram uma ação na sede da empresa, em Paris. Eles derramaram oleo falso na frente do prédio e exibiram mensagens em defesa dos Corais da Amazônia.

ASSINE A PETIÇÃO E PRESSIONE A TOTAL

Óleo falso foi derramado na sede da Total para alertar sobre o risco de vazamento de petróleo na região dos Corais da Amazônia.