Finalmente o frigorífico Bertin decidiu respeitar a lei. A empresa assinou ontem um termo de ajustamento de conduta (TAC) com o MPF e o governo do Pará se comprometendo a adotar uma moratória de dois anos ao desmatamento ilegal ou até que as fazendas fornecedoras de gado obtenham licença ambiental. Além disso, a empresa junto a outros grupos do Pará promete rastrear os bois, informar ao consumidor a fazenda e a cidade de origem do gado e exigir os limites da propriedade para monitorar nosvos desmatamentos. O Greenpeace vai acompanhar de perto esse acordo e pressionar para o desmatamento zero na Amzônia. Para saber a opinião do Greenpeace sobre o acordo clique aqui. Para ler o resumo do acordo, acesse aqui.