Os ativistas foram empurrados e agredidos a pedido da dona do estabelecimento (© Greenpeace)

 

Ativistas do Greenpeace foram agredidos na Argentina durante uma ação em frente a um posto de gasolina com a bandeira da Shell. A atividade foi realizada na cidade de Mar del Plata, a 400 km de Buenos Aires.

O ocorrido se deu pouco depois dos ativistas esticarem o banner em frente à loja, quando funcionários tentaram a força tirá-los do local, a mando da dona do estabelecimento. “A violência que sofremos esta manhã não tem justificativa. Nossas ações são pacíficas por definição e buscam conscientizar a respeito das questões ambientais que nosso planeta sofre”, declarou Walter Jofré, coordenador do Grupo de Voluntários de Mar del Plata.

Em Buenos Aires uma atividade semelhante foi realizada com a participação de Mario Pergolini, um importante radialista argentino. Nesta manifestação não houve problemas com os empregados do posto e nossa mensagem foi transmitida sem problemas.

 

Ambas as ações ocorreram para chamar a atenção para os planos predatórios da Shell para o Ártico. Depois de um fracasso retumbante na tentativa de extrair o petróleo no Alasca, a petroleira se juntou à estatal russa do setor, Gazprom, para explorar o Ártico através do território russo.

Ajude-nos a impedir a destruição do Ártico pelas ações irresponsáveis de companhias que visam o lucro em detrimento desse frágil ecossistema. Junte-se a nós.

Assine a petição