A jornada da campanha pelos Corais da Amazônia foi longa. Unimos esforços e times de três escritórios do Greenpeace: Brasil, Reino Unido e França. O Brasil, pela localização dos Corais, enquanto os escritórios do Reino Unido e da França por terem as sedes das principais empresas que tentavam (ainda tentam) a licença para perfurar na bacia da foz do Rio Amazonas.

Abaixo você confere uma linha do tempo com as principais acontecimentos da campanha em defesa dos Corais até agora.   

2016 - Nosso time de pesquisa foi atrás de informações sobre esse incrível bioma que poucos conheciam. Eles descobriram que pesquisadores documentaram essa área e também que petrolíferas estavam interessadas em perfurar a região. Não podíamos ficar só olhando. A campanha em defesa dos Corais da Amazônia estava nascendo.

Esperanza na foz do Rio Amazonas (Crédito: Marizilda Cruppe / Greenpeace)

20 de janeiro de 2017 - O Esperanza chega ao Brasil e, com ele, um submarino para registrar pela primeira vez esse bioma incrível embaixo d'água. Não podíamos falar nada ainda, já que a campanha não havia sido lançada. No dia seguinte, publicamos algumas características interessantes sobre ele, como o motor adaptado e toda a coleta e tratameto de resíduos que acontece dentro do navio. 

23 de janeiro de 2017 - Já com o Esperanza em alto mar, lançamos a primeira expedição e a campanha para defender os Corais da Amazônia. Por que os chamamos assim? Porque eles estão na foz do Rio Amazonas, um lugar onde seria impossível a existência de corais. Mas é lá que eles estão. E é pra lá que o Esperanza foi.

Submarino retornando de mergulho para o deck do navio Esperanza (Crédito: Marizilda Cruppe / Greenpeace)

28 de janeiro de 2017 - Após algumas descidas com o submarino, conseguimos registrar as primeiras imagens dos Corais da Amazônia. O que impressionou nosso time a bordo foi a diversidade e exuberância das espécies em torno deles: peixes-borboletas e algas, mesmo com pouca presença de luz. 

30 de janeiro de 2017 - Um novo mergulho com o submarino e ele retorna com as mais belas imagens que já vimos dos Corais até o momento. Muitas cores, muitas formas e muitos seres aquáticos, incluindo até uma lagosta e uma piraúna que posou para fotos, tornando-se ícone da campanha. 

Aves sobrevoam a região de Bom Amigo, na costa do Amapá (Crédito: Daniel Beltrá / Greenpeace)

31 de janeiro de 2017 - A área costal perto dos Corais da Amazônia também é importante. No caso de um vazamento de petróleo, ela também seria profundamente afetada. Por isso, nosso time também percorreu essa região registrando sua vasta fauna e flora em todas as suas cores

10 de fevereiro de 2017 - Uma campanha tão importante  não poderia ficar restrita ao Brasil. Nossos escritórios ao redor do mundo se uniram para divulgar a petição pela defesa dos Corais da Amazônia e rapidamente conseguimos mais de 440 mil assinaturas, desde o Brasil até o Reino Unido. 

A foto com os corais foi uma das ações realizadas em várias cidades, como Belo Horizonte.

15 de fevereiro de 2017 - Voluntários de todo o Brasil se uniram para mostrar a ainda mais pessoas nas ruas as incríveis fotos que registramos dos Corais da Amazônia. Eles se mobilizaram e conseguiram mais apoio para pressionar as petrolíferas.

23 de fevereiro de 2017 - Defender os Corais da Amazônia é defender toda a vida na costa do Amapá. Nossa equipe mostrou como várias pequenas comunidades que dependem do mar para sobreviver poderiam ser afetadas no caso de um vazamento de petróleo na região. 

Ativistas do Greenpeace na França simularam um derramamento na sede da petrolífera Total (Crédito: Simon Lambert / Greenpeace)

27 de março de 2017 - Ativistas realizaram ações em defesa dos Corais da Amazônia nas instalações da Total na França e na Bélgica. O objetivo era o mesmo: mostrar que explorar petróleo na região é inaceitável. 

13 de abril de 2017 - Alcançamos 1 milhão de assinaturas na petição em defesa dos Corais da Amazônia. São 1 milhão de pessoas ao redor do mundo pressionando petrolíferas e defendendo um ecossistema único no mundo.

Comissão reuniu setores contra e a favor da exploração de petróleo na Amazônia (Crédito: Alan Azevedo / Greenpeace)

6 de junho de 2017 - Em debate aberto com a sociedade civil, a Comissão do Meio Ambiente do Senado ouviu os ativistas sobre por que a exploração de petróleo não deve ocorrer e dos cientistas falando sobre por que dos Corais da Amazônia são tão importantes. 

29 de agosto de 2017 - O Ibama decide contra a licença de exploração de petróleo pela Total na região dos Corais da Amazônia. Esta é a terceira vez que a empresa tenta a autorização desde 2015. 

Banner de 24 x 14 metros em forma de mancha de óleo foi colocado sobre uma passarela que cruza a Avenida do Chile, no Rio de Janeiro. (Crédito: Fernanda Ligabue / Greenpeace)

28 de setembro de 2017 - Com uma ação direta na sede da Total no Rio de Janeiro, nossos ativistas mostraram que vamos continuar a pressão. Simulamos um derramamento de óleo e mandamos a mensagem bem clara: "Total, fique longe dos Corais da Amazônia". 

10 de novembro de 2017 - A demora na aprovação dos Estudo de Impacto Ambiental da Total e da BP foi tão grande que o governo Brasileiro decidiu retirar a oferta de blocos perto da região no ano. Enquanto isso, nossa petição ultrapassava a marca de 1,3 milhão de assinaturas de pessoas ao redor do mundo.

Ativistas entregam banner à BP com mensagens de pessoas que não aceitam a exploração de petróleo perto dos Corais da Amazônia. (Crédito: Juliana Costta / Greenpeace)

21 de novembro de 2017 - Em audiências públicas realizadas em Belém, no Pará, e no Oiapoque e Macapá, no Amapá, os cidadãos se mostraram repletos de dúvidas sobre as consequências da exploração de petróleo nos locais em que vivem. E as respostas das empresas foram bastante evasivas. 

19 de janeiro de 2018 - Alcançamos 1,6 milhão de assinaturas na petição em defesa dos Corais da Amazônia. É muita pressão na direção das petrolíferas e chegando de todos os cantos do mundo. 

Comemoração do Dia Mundial dos Corais da Amazônia em Natal (Crédito: Vitor Arrais / Greenpeace)

28 de janeiro de 2018 - No dia em que as imagens dos Corais foram divulgadas no ano passado, celebramos o Dia Mundial dos Corais da Amazônia com ações ao redor do Brasil. Voluntários se uniram em diversas cidades para protestar contra a exploração de petróleo na região.

8 de março de 2018 - A mineradora australiana BHP, vendo a pressão popular em torno da defesa dos Corais, decide abandonar os planos de explorar petróleo perto deles. Uma já se foi!

A bordo do Esperanza, rádio-operador e cientista analisam imagens da sonda que escaneia o fundo do mar. (Crédito: Marizilda Cruppe / Greenpeace)

30 de março de 2018 - Nosso navio Esperanza volta ao Brasil, dessa vez para realizar uma expedição científica e analisar de perto esse bioma único no mundo. A bordo, nosso time de especialistas e um grupo de cientistas para não deixar nenhum detalhe passar batido. 

Esse caminho tem sido longo mas a luta pela defesa dos Corais da Amazônia está longe de acabar. Temos que continuar pressionando a Total e a BP para que desistam dos seus planos de explorar petróleo na região. Você pode ajudar! Clique no link abaixo, assine a petição ou compartilhe-a nas suas redes.

Assine a petição