Pesquisadora do Greenpeace de camiseta no Ártico (©Greenpeace/Pedro Armestre)

 

Ontem, no terceiro dia de expedição no Ártico, o grupo de viajantes do Greenpeace, do qual o o cantor espanhol Alejandro Sanz faz parte, subiu o monte Tiniteqilâq, na Groenlândia. Com  417 metros de altura, foi necessário muito tempo de escalada porque a cada passo era necessário remover grandes rochas, antes congeladas.

Escalando o monte Tiniteqilâq, na Groenlândia (©Greenpeace/Pedro Armestre)

 

Num lindo cenário de gelo e mar, os viajantes acabaram retirando suas malas, camisetas térmicas, luvas e gorros porque os termômetros marcavam espantosos 20°C.

Os cientistas estimam que dentro de 10 a 20 anos o Ártico não terá mais gelo no verão. “Hoje, para nossa tristeza, sentimos na pele as mudanças climátias no Ártico” disse Laura Perez, diretora de comunicação do Greenpeace Espanha. “Temos que salvar o Ártico. É urgente”, completou Perez.

Vista do monte Tiniteqilâq, na Groenlândia (©Greenpeace/Pedro Armestre)

 

A campanha Salve o Ártico pede a proteção desta última fronteira natural, tão ameçada pela exploração petrolífera de empresas como Shell e Gazprom e pela pesca em escala industrial. Junto de Alejandro Sanz, embaixador da campanha, o Greenpeace pede o reconhecimento da região como um santuário protegido, isolado das intervenções humanas.

Se você quer ajudar a salvar o Ártico, assine a petição abaixo.

Assine a petição