Começou hoje a reunião da CIB, Comissão Internacional Baleeira, na Ilha da Madeira, em Portugal. Criada em 1946 por 15 países baleeiros, incluindo o Brasil, o objetivo era fortalecer a indústria baleeira. A idéia inicial era impedir que as baleias chegassem à extinção, pois assim esses países poderiam continuar a caça comercial por tempo indeterminado. Porém, 20 anos atrás, os países conservacionistas conseguiram instituir uma moratória à caça comercial que, infelizmente, ainda é desrespeitada pela Islândia, Noruega e pelo Japão. Esse último país é, ano após ano, o motivo da maior discórdia na reunião: além de promover a caça comercial disfarçada de ciência, ainda o faz em regiões de santuários naturais. O Greenpeace levará suas reivindicações, buscando fortalecer a CIB como um encontro que, em vez de estar relacionado à caça desses animais, deveria ter um caráter de preservação e proteção dos mesmos. Confira a participação de Junichi Sato na CIB, nosso ativista do Japão que, juntamente com Toru Suzuki, está sendo acusado criminalmente por defender as baleias.

Você pode acompanhar a reunião ao vivo, nesse site japonês.

Enquanto isso, na Espanha, ativistas protestaram contra a sobrepesca de atum. Apesar do protesto pacífico, a tripulação reagiu com violência. Confira o vídeo no canal de imprensa do Greenpeace Internacional.