©Greenpeace/Daniel Beltrá

A revista Science publicou hoje um artigo sobre a economia de municípios com diferentes níveis de desmatamento na Amazonia. Os resultados do estudo provam que  o desmatamento da floresta não dá lugar ao desenvolvimento econômico, mesmo quando a região é tomada pela agropecuária. A coleta de dados de 286 municípios mostrou que eles passam por um pico de desenvolvimento após a derrubada da mata seguido de uma queda brusca na economia. Índices como qualidade de vida, alfabetização e expectativa de vida são bem baixos tanto antes quanto após a derrubada da floresta. O estudo afirma que novas iniciativas financeiras e políticas que permitam um desenvolvimento susntentável precisam ser criadas ao invés de continuar a estimular um desenvolvimento baseado na destruição da natureza e dos serviços ambientais. Infelizmente o estudo só é disponibilizado no site da Science para sócios, mas você pode conferir, em inglês, no site do The Guardian uma reportagem sobre o artigo ou no site do Globo Amazônia, em português.