Durante entrevista coletiva concedida a blogueiros na manhã de hoje no Palácio do Planalto, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva prometeu vetar a proposta dos ruralistas para tratorar o Código Florestal – em discussão na Câmara – caso ele vá de encontro com o decreto do governo formulado em 2009.

A proposta a que Lula se refere foi elaborada a partir de conversas entre o Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA) e o Ministério do Meio Ambiente (MMA), mas ficou parado na Casa Civil por divergências entre os então ministros Reinhold Stephanes e Carlos Minc.

A pergunta surgiu não dos blogueiros presentes na entrevista, mas de Natalie Unterstell, do CClima, que enviou sua pergunta via Twitter. “O presidente que reduziu 75% do desmatamento nos últimos cinco anos permitirá votar o novo Código Florestal que destruirá nossa meta de clima?”, questionou.

Em resposta, Lula afirmou que tanto ele quanto a presidente eleita Dilma Rousseff vetarão qualquer proposta que for contrária ao decreto do governo. “Minha escolha foi por não atrapalhar o processo legislativo, que já estava em andamento, por isso decidi não implementar o decreto discutido pelo MMA e pelo MAPA”. E alertou. “O que vier fora dos padrões acordados nós vetaremos. Tenho certeza que Dilma também vetará.” 

Entre os pontos contemplados na proposta inacabada estão a obrigatoriedade de recomposição da área desmatada e a não concessão de anistia ampla e irrestrita a desmatadores, contemplada na proposta do deputado Aldo Rebelo e defendida com unhas e dentes pelos ruralistas de plantão.

O presidente afirmou que um acordo é possível. “Acredito na possibilidade de alcançarmos um acordo. Só temos que chamar representantes da Câmara e ambientalistas para decidir isso”. Falta agora o presidente arregaçar as manguinhas e promover o encontro entre os setores interessados para discutir o assunto e quem sabe assim chegar a um acordo favorável ao meio ambiente.