Ana Paula Alminhana Maciel embarcada. Foto: © Will Rose / Greenpeace

 

A presidenta Dilma Rousseff se manifestou, hoje, em relação ao caso da ativista gaúcha que está presa na Rússia. “Determinei ao @MREBRASIL [Ministério de Relações Exteriores] que desse toda assistência à brasileira Ana Paula Maciel, detida na Rússia durante protesto ambiental”, afirmou nesta quinta-feira, por meio de sua conta no Twitter. “Solicitei ao ministro Figueiredo contato de alto nível com o governo russo para encontrar solução para Ana Paula”, postou.

A bióloga Ana Paula, de 31 anos, está em prisão preventiva desde o dia 19 de setembro. Ela foi acusada de pirataria, com outras 29 pessoas, após um protesto pacífico feito em águas internacionais contra a exploração do petróleo no Ártico. Nesta quarta-feira, foi protocolada na Presidência da República uma carta da mãe de Ana, Rosangela Maciel, pedindo a Dilma que ajudasse diplomaticamente no caso. 

“A declaração de Dilma é uma boa resposta aos brasileiros que têm se manifestado pedindo que o governo brasileiro fizesse o que fosse possível para trazer Ana Paula de volta para casa”, afirmou o diretor de políticas públicas do Greenpeace no Brasil, Sérgio Leitão.

Ele destacou, ainda, que o fato de Brasil e Rússia fazerem parte do chamado BRIC – sigla para Brasil, Rússia, Índia e China, grandes potências em desenvolvimento – também coloca o país em posição privilegiada para intervir no caso. “Por suas relações comerciais e diplomáticas com a Rússia, o Brasil tem as melhores condições de conseguir um acordo diplomático para a libertação não só da brasileira Ana Paula, mas dos outros ativistas”.

Libertem nossos ativistas