Empresários, ambientalistas e representantes da sociedade civil farão um ato público amanhã (18/7), em São Paulo, contra a Medida Provisória 458, a MP da Grilagem. Os manifestantes pedirão ao presidente Lula que vete quatro itens da MP que vai regularizar as terras na Amazônia: a possibilidade de pessoas jurídicas serem proprietárias, a não obrigatoriedade de morar no local para ter direito a regularização, o mecanismo que permite ao próprio beneficiário declarar as condições do imóvel sem fiscalização e a carência de apenas três anos para vender as terras com mais de 400 hectares.

O protesto será realizado no último dia da Conferência Internacional do Instituto Ethos, evento esta semana que reuniu mais de 700 pessoas para discutir responsabilidade ambiental. O ato será realizado às 14h30, no Hotel Transamérica (Av. das Nações Unidas, 18591).