O campaigner do Greenpeace, André Muggiati, lançou a campanha de gado hoje em um dos seminários do Fórum Social Mundial. Com a sala lotada, os visitantes (que se acomodaram até no chão) puderam ver uma série de mapas que cruzavam informações da ocupação da pecuária em áreas onde a floresta amazônica foi desmatada. O relatório Rastro da Pecuária na Amazônia traz dados sobre frigoríficos, desmatamentos, estradas e ocupação de rebanho na região.

Sem pregar o vegetarianismo (cada um com a sua opção de dieta) é bom refletir sobre alguns dados chocantes antes de pedir o seu próximo filé:

* Aproximadamente 80% das áreas desmatadas na Amazônia são ocupadas por gado.

* Das 20,5 milhões de cabeças de gado (adicionadas ao rebanho entre 2002 e 2006), 14,5 milhões encontram-se na Amazônia.

* Para cada quilo de carne que chega à sua alimentação, são emitidos 13 quilos de CO2 equivalentes - ou seja, comer quilo emite o mesmo tanto de CO2 do que uma viagem de avião de 100km (cota por pessoa).

Simplificando:

Para a criação de gado, a Amazônia é desmatada. O desmatamento é respondável por 75% dos gases de efeito estufa emitidos pelo Brasil. Os gases de efeito estufa (CO2) são responsáveis pelo aquecimento global. O Brasil é o quarto maior emissor de CO2 do mundo. Logo, a carne que você come ajuda a esquentar nosso planeta.

E o que você pode fazer a respeito?

- Tente diminuir a quantidade de carne da sua dieta; - Exija os selos de origem da carne que você consome; - Adote um estilo de vida mais sustentável (veja algumas dicas aqui) reduzindo suas emissões de CO2; - Junte-se ao Greenpeace e cobre do governo Lula um bom desempenho na COP, assinando a nossa petição.

DESMATAMENTO ZERO. É AGORA OU AGORA.