Ativistas do Greenpeace tentam impedir a ancoragem do navio Anna Akhmatova à plataforma Prirazlomnaya para impedir que os operários dessem continuidade a construção da plataforma (©Denis Sinyakov/Greenpeace)

 

O protesto no Ártico chegou ao fim depois do anúncio sobre o recorde do maior degelo da história. Ainda pela manhã de hoje, os ativistas do Greenpeace Internacional continuaram o protesto pacífico para impedir que os trabalhadores a bordo do navio Anna Akhmatova terminassem a construção da plataforma Prirazlomnaya que pretende começar a perfurar na região em busca de petróleo.

Veja as fotos da atividade: 

 

Dois ativistas da Finlândia e da Alemanha prenderam um bote inflável nas linhas de ancoragem que ligavam o navio Akhmatova à plataforma, mas mesmo assim a embarcação prosseguiu com a ancoragem e derrubou os ativistas nas águas geladas.

Kumi Naidoo, diretor-executivo do Greenpeace Internacional, afirmou que “estar na plataforma ao mesmo tempo em que é noticiado que o gelo do Ártico atingiu seu menor tamanho é assustador. A arrogância das empresas para explorar a região em um momento tão precário é impressionante.”

Cientistas do Centro Nacional de Dados sobre Gelo e Neve dos Estados Unidos anunciaram, ontem, que o gelo do polo norte se reduziu neste ano a 4,1 milhões quilômetros quadrados, uma área 70.000 quilômetros quadrados menor que a do recorde histórico de 2007.

Enquanto isso, a Gazprom dá os retoques finais na plataforma que irá prejudicar ainda mais o equilíbrio climático mundial.

Naidoo ainda disse que "nossa campanha contra a Gazprom, a Shell, e todas as outras empresas de petróleo que planejam ir para o Ártico continua. Nós vamos confrontar as perfurações imprudentes na região e inspirar ainda mais pessoas a aderir à ideia da construção de um santuário global no Ártico."

Se você quiser participar da petição, acesse: www.salveoartico.org.br 

Assine a petição