Ativistas do Greenpeace protestam em uma loja da H&M para pedir que a companhia pare de usar substâncias tóxicas em sua cadeia de produção. Em 2011, a empresa se comprometeu a não poluir os rios chineses (©Martin Norman/Greenpeace)

A Levi Strauss & Co., conhecida marca de roupa norte-americana, aderiu à campanha do Greenpeace pela proteção dos rios chineses. Águas de importantes rios do país têm sido poluídas com rejeitos químicos da indústria têxtil, entre os responsáveis está a Levi's.

“Apesar de a Levi’s reconhecer o problema da poluição tóxica nas águas chinesas causada por seus fornecedores e seus produtos, o comprometimento oferecido pela empresa não é compatível com a urgência da questão”, afirmou Martin Hojsik, coordenador da Campanha de Tóxicos do Greenpeace.

Além disso, o compromisso da Levi’s é fraco porque não determina um prazo concreto para a eliminação das substâncias químicas perigosas de sua cadeia de produção. A expectativa do Greenpeace em relação às empresas da indústria têxtil, principal responsável pela elevada concentração de poluentes nas águas chinesas, é a liderança, não apenas compromissos insatisfatórios.

Trabalhar em colaboração com empresas da indústria têxtil pode ser útil, mas para isso a Levi’s Strauss deve dar o primeiro passo com um claro reconhecimento de sua responsabilidade individual, com a compreensão da urgência da questão e com compromissos ambiciosos para que resultados reais sejam alcançados em um futuro próximo, não apenas promessas sem prazos.