Na Lituânia, Greenpeace sobrevoa a cidade de Vilnius para protestar contra o referendo de desenvolvimento de energia nuclear. (©Greenpeace/Vidmantas Balkunas)

 

O Greenpeace parabeniza os lituanos por dizerem “não” para o referendo a favor do desenvolvimento de energia nuclear no país. 

“Esse é um passo importante para toda a região para que o futuro dependa em fontes de energias renováveis”, disse Jan Haverkamp, consultor especialista do Greenpeace em energia nuclear na Europa Central. “É uma vitória para a democracia, considerando o ambiente de intimidação e as dispendiosas campanhas nucleares que inundaram o país nos últimos meses”.

Nas semanas que antecederam o referendo, o governo lituano negou acesso ao país para convidados que falariam no Parlamento contra a energia nuclear e o Primeiro-Ministro Andrius Kubilius não atendeu as chamadas do Greenpeace para uma discussão o assunto.

Os lituanos não apenas disseram ‘não’ para a perigosa tecnologia nuclear, mas também para as políticas paternalistas que a apoiam. O novo governo lituano terá que conceber uma estratégia de energia limpa considerando que seus cidadãos querem eficiência energética e energias limpas, seguras e renováveis”, disse Haverkamp.

O Greenpeace pede para a Bielorrússia, a Polônia e a Rússia para seguirem o exemplo da Lituânia e substituir seus planos nucleares para ganrantir um futuro energético limpo.