Jonathan David Beauchamp - Nova Zelândia - Mecânico de botes

foto: Greenpeace/Rodrigo Baleia
foto: Greenpeace/Rodrigo Baleia

"O Brasil é ótimo, principalmente as pessoas. Eu gostaria de morar aqui. A Amazônia é maravilhosa, se parece muito com Tonga, onde eu moro hoje. Eu não trabalho aqui pelo dinheiro. Esta é a minha segunda viagem no navio. Eu comecei no Mediterrâneo e agora não quero mais parar."

Ricardo Martins Monge (Papu) - Brasil - Voluntário – marinheiro

foto: Greenpeace/Baleia
foto: Greenpeace/Rodrigo Baleia

"Eu estudei Biologia Marinha, mas entendo que a questão ambiental é interdisciplinar. Conheci o Greenpeace no Fórum Social Mundial, em Porto Alegre, em 2005. Até então, eu achava que só era possível contribuir financeiramente, mas eu queria também ser voluntário. Então, eu me cadastrei e entrei para o grupo de voluntários do Rio de Janeiro, do qual fui coordenador de 2006 a 2008. Esta é a primeira vez que eu estou embarcado em um navio do Greenpeace – era um sonho que eu tinha. Viajando pelo rio Amazonas, eu pude testemunhar o desmatamento. A destruição da floresta é chocante. Por isso, tenho satisfação em lutar por um futuro melhor."

Daqui há pouco tem mais.