O arco-íris hoje está pálido, em tons de cinza. Tatiana de Carvalho, 10 anos de Greenpeace e 36 de vida nos deixou neste fim de semana após um acidente numa cachoeira próxima a Brasília.

Tati era a mais pura expressão de alegria, autenticidade, garra, espontaneidade. Era daquelas pessoas raras, que vêm ao mundo em edição limitadíssima. Dos corredores sisudos do Congresso Nacional aos labirintos da floresta amazônica, onde passou quase uma década se unindo a comunidades contra o desmatamento, Tati deixava um rastro de inspiração e energia.

Quem o diz não somos nós apenas, mas todos os que tiveram o privilégio de conviver com ela. Desde que a notícia começou a circular, uma chuva de emails, mensagens, telefonemas mostra a força que essa grande mulher – em estatura e espírito – deixou pra trás.

Apesar do indescritível vazio que sentimos –e sentiremos– temos certeza de que seu brilho não vai se apagar jamais. De onde quer que ela esteja, essa guerreira do arco-íris vai continuar brilhando e abrindo pra nós os caminhos que levam ao mundo melhor que tanto queremos.

À família, registramos nossa mais profunda solidariedade. Quanto à você, Tati, prometemos honrar seus sonhos e levar adiante as lutas que compartilhamos. Descanse em paz, querida amiga.

*Todas as mensagens aqui deixadas serão repassadas à família de Tatiana.