A Timberland, fabricante de calçados, não vai mais utilizar couro proveniente de animais criados em áreas recém desmatadas na Amazônia. A nova política de compra de couro da Timberland exclui a compra de gado criado em áreas desmatadas depois de julho de 2006. O compromisso anunciado ontem é extensivo aos fornecedores, que terão até 2009 para anunciar publicamente que também adotaram a moratória.  Na semana passada, outra gigante do setor, a Nike, já havia adotado uma política semelhante. A decisão das empresas é resultado do relatório “A Farra do Boi na Amazônia”. Lançado pelo Greenpeace, em junho, o levantamento aponta a relação entre empresas frigoríficas envolvidas com desmatamento ilegal e trabalho escravo e produtos de marcas reconhecidas, vendidos no mercado internacional. No relatório, o Greenpeace demonstrou como o couro de áreas desmatadas no sul do Pará entra na cadeia de custódia da Timberland, passando por curtumes na China.