Hoje quem brilhou na marcha foi o nosso boi. Ele foi criado para uma ação que denunciou as muitas áreas da Amazônia que são desmatadas para virarem pasto. Na marcha que marcou a abertura do Fórum Social Mundial foi fácil achar o Greenpeace. Era só procurar o boi.

Marchamos da Estação das Docas até o mercado de São Brás. Nossos voluntários foram seguindo o boi e cantando:

"Boi, boi, boi; Boi da cara preta; Sai da Amazônia pra salvar nosso planeta."

"Não é mole não; Pra Amazônia; O boi só traz destruição."

"Não tem mais tempo, chegou a hora; Salvar o clima; É agora ou agora"

ADENDUM

Nossa companheira de expedição, Karina Miotto, participou da marcha do início ao fim e nos dá aqui seu depoimento:

Marcha da chuva, do boi e dos refrões

A marcha que marcou o início do Fórum Socil Mundial teve como ponto de partida a Estação das Docas, em frente ao navio Arctic Sunrise. Inflamos um boi de 4 metros de altura porque ele representa a destruição da maior floresta do planeta. 80% das áreas desmatadas são ocupadas por pastagens. Isso sem falar que a maioria de trabalhadores em situação análoga à da escravidão é encontrada justamente na região amazônica, em fazendas de gado. Além do boi, carregamos uma bola gigante como símbolo da Terra.

A chuva começou a cair forte no início do percurso que demoraria 4 horas para ser caminhado pelas cerca de 92 mil pessoas ali presentes. Não poderia ter sido mais divertido. Um brinde à chuva amazônica! Quando a tempestade passou, o sol voltou a brilhar e trouxe inspiração à nossa equipe, que começou a cantar pequenos refrões que complementam muito bem a marcha feita pelo Greenpeace no início deste fórum. Gostamos muito deste aqui: “não é mole não. Pra Amazônia, o boi só traz destruição”.

Foi bom participar de mais uma atividade da organização, com uma turma animada e que jamais deixa passar a oportunidade de transmitir mensagens muito importantes sobre o nosso planeta e sobre a preservação da Amazônia. (Karina Miotto)