O frigorífico Marfrig respondeu ao relatório “A Farra do Boi na Amazônia”, e anunciou ontem uma moratória sobre novos desmatamentos para a pecuária na Amazônia. A empresa, quarta maior produtora de carne bovina e derivados do mundo, se comprometeu a não comprar mais gado de fazendas que desmatam no bioma Amazônia. O governo do Mato Grosso; Estado amazônico que possui o maior rebanho do Brasil e historicamente vem liderando a lista de campeão do desmatamento na Amazônia; apoiou a iniciativa da Marfrig e disponibilizou seu sistema de controle e monitoramento do desmatamento no estado para verificar se as fazendas estão cumprindo os compromissos assumidos pela moratória.

Marfrig. Ricardo Funari / Lineair
Marfrig. Ricardo Funari / Lineair

Desde o lançamento do relatório “Farra do Boi na Amazônia”, os supermercados Carrefour, Wal Mart e Pão de Açúcar anunciaram a intenção de não comprar mais carne vinda de novos desmatamentos na Amazônia.  O IFC, braço do Banco Mundial que financia empresas, cancelou um empréstimo de US$ 90 milhões para o frigorífico Bertin. Onze frigoríficos, incluindo o Bertin, estão sendo processados pelo Ministério Público Federal no Pará, por sua contribuição ao desmatamento.

Saiba mais sobre a moratória da Marfrig aqui.

Veja a denúncia!