Tripulação do Arctic Sunrise parte hoje em expedição para salvar o Ártico da exploração predatória. (© Bas Beentjes / Greenpeace)

O Arctic Sunrise, um dos navios da frota Greenpeace, parte nesta sexta-feira para uma expedição de um mês pelas águas geladas do Ártico. A viagem é parte da nova campanha da organização para salvar a frágil e intocada região marítima. A organização luta para que seja declarado um santuário global em torno da área desabitada do Polo Norte.

A tripulação do navio é composta por uma equipe internacional de todos os continentes do globo, incluindo integrantes do grupo Meninas Guias (cujo nome em inglês é Girl Guides), celebridades chinesas, cineastas, ativistas e cientistas da Universidade de Cambridge, na Inglaterra. A expedição parte hoje da remota ilha norueguesa de Svalbard, para uma viagem de duas etapas pelo mar. O navio navegará no Estreito de Fram, entre a ilha de Svalbard e a Groenlândia.

Leia mais:

"O Oceano Ártico sofre a ameaça das mudanças climáticas, da perfuração para exploração de petróleo e também da pesca predatória. É hora de desenhar uma linha no gelo e dizer para as indústrias destrutivas que lucram com um Ártico em rápida mutação que elas não são bem-vindas. O Ártico precisa de proteção, não de indústria", disse Frida Bengtsson, da Campanha do Ártico do Greenpeace.

Um milhão de pessoas já assinaram a petição pela proteção do Ártico. E o Greenpeace pretende colocar, na futura planta do santuário, no fundo do mar do Polo Norte, 4 km abaixo do gelo, uma lista contendo os primeiros um milhão de nomes que assinaram em apoio à campanha.

O local será marcado por uma Bandeira para o Futuro, que será desenvolvida por jovens mundo a fora, em um concurso organizado pelo movimento global Meninas Guias. Duas integrantes do grupo de guias, Miryam Justo, do Peru, e Yvette Sena, de Gana, irão passar uma semana no mar, a bordo do Arctic Sunrise.

Na segunda etapa da expedição, que começa em 9 de julho, os cientistas, liderados por Peter Wadhams, da Universidade de Cambridge, irão trabalhar em conjunto com especialistas de digitalização 3D e engenheiros, para capturar, pela primeira vez, a verdadeira forma do gelo do mar Ártico.

Usando um submarino para medir a parte de baixo do gelo e scanners de superfície a laser para medir o seu topo, o grupo irá obter modelos 3D de blocos inteiros de gelo, incluindo os cumes de pressão.

O Greenpeace lança a expedição "Salve o Ártico" enquanto a gigante petroleira Shell planeja iniciar, nas próximas semanas, a perfuração exploratória de óleo em dois locais em alto mar, na parte do Ártico que pertence ao Alasca. Além da expedição do Arctic Sunrise, outro navio da frota Greenpeace, o Esperanza, irá navegar ao longo da costa Pacífica dos Estados Unidos para monitorar as operações da Shell.

Veja a galeria de fotos da expedição e sua tripulação.