© Mary Berbet © Mary Berbet

Mentira é a palavra que marcou a audiência pública do Porto Sul, em Ilhéus na Bahia. Foram mais de 13 horas de audiência com a sala cheia. Mais de 3800 pessoas estiveram presentes. Foi um exercício de democracia incrível.

De um lado moradores da região, favorável ao empreendimento, mas que pouco sabiam sobre o projeto e o que ele de fato pode trazer para a região. Sonham com emprego, qualidade de vida e com uma Ilhéus mais rica, mas podem sair dessa batalha decepcionados.

Do outro lado, estudantes da Universidade Estadual de Santa Cruz, ambientalistas e moradores locais que são contrários a vinda do Complexo Portuário para Ilhéus. Esses sim estavam preparados para responder aos questionamentos e para expor as mentiras que pairaram no ar. Era nítido que haviam lido e debatido o EIA/RIMA antes da audiência e não estavam lá pelo sanduíche e pela camiseta, mas sim por que lutam por um Sul da Bahia Justo e Sustentável.

O estudo apresentado trazia falhas técnicas e que foram apontadas pelos técnicos, pesquisadores, estudantes e por organizações da sociedade civil. Levantadas essas questões o IBAMA tem como responsabilidade reavaliar o estudo, para então decidir ou não pela licença ambiental.

Representantes do Ministério Público Federal e Estadual estiveram presentes para garantir a imparcialidade no debate e afirmar que seguem acompanhando o caso de perto. Na mesa de abertura, todas as falas foram favoráveis ao empreendimento e colocadas de forma bem tendenciosa, não representando uma imagem real da situação local e prejudicando a democracia que rege uma audiência pública.

O IBAMA tem o prazo de 15 a 30 dias para emitir seu parecer sobre o empreendimento.