Os consumidores e amantes da Nike podem voltar a usar os variados produtos da marca, sem ter receio se o couro vem de animais criados em áreas desmatadas da Amazônia ou não. A empresa a partir de agora pretende zerar sua participação no desmatamento exigindo que os seus fornecedores provem que o couro comercializado não vem da floresta. A decisão vale até que os fornecedores implementem um sistema de rastreabilidade do gado que irá permitir saber com exatidão a procedência dos animais. A Nike mostra para outras grandes empresas do setor como Adidas, Reebok e Timberland, a necessidade de mudar o modus operandi das empresas e de respeitar a exigência dos consumidores. O Brasil possui o maior rebanho comercial do mundo e é um dos maiores exportadores mundiais de couro. O couro usado pela Nike sai da Bertin, no Brasil, e passa por fornecedores chineses e vietnamitas até chegar às linhas de produção. As exportações de couro quadruplicaram entre 1980 e 2006; só em 2008, o setor movimentou US$ 1,9 bilhões.