Na esteira de promessas por melhorias no transporte público, o prefeito Fernando Haddad instituiu por decreto, nesta terça-feira, o Conselho Municipal de Trânsito e Transporte (CMTT) de São Paulo. A notícia é boa: é por meio deste órgão – que conta com membros do governo, da sociedade civil e de operadoras de serviços de transporte – que o Plano de Mobilidade Urbana (PMU) da cidade deve ser elaborado e acompanhado.

Em carta enviada a Haddad nesta quinta-feira, o diretor-executivo do Greenpeace, Fernando Rossetti, parabeniza o prefeito pela iniciativa. E ressalta alguns pontos que precisam ser priorizados no PMU: a transparência e garantia de participação ampla da sociedade civil, a redução das emissões de gases estufa e a integração das políticas numa escala metropolitana, e não só restrita à cidade de São Paulo.

“À frente da maior capital do País, acreditamos que o Sr. tem a representatividade e a força política necessárias para levar adiante um processo de diálogo e construção coletiva nesse sentido”, afirmou Rossetti. Para ler a carta na íntegra, clique aqui.

O Greenpeace tem acompanhado a elaboração do Plano de Mobilidade Urbana nas capitais brasileiras. Quer saber mais? Acesse.