É com pesar que informamos o assassinato de duas baleias fin (Balaenoptera physalus) na manhã desta quinta-feira nas águas geladas da Islândia. Os animais foram vítimas de certeiros arpões disparados pela frota baleeira da empresa islandesa Hvalur efh. A primeira baleia a morrer foi uma fêmea de 18 metros de comprimento. Não há informações se ela deixou descendentes.

Ativistas do Greenpeace testemunharam o crime e acusam o governo islandês de dar apoio político e financeiro à atrocidade.

A fin é uma espécie ameaçada de extinção e a segunda maior baleia dos oceanos, perdendo em tamanho e peso apenas para a baleia-azul. Pode viver até 70 anos, chegar a 25 metros de comprimento e pesar até 100 toneladas.

(fonte da imagem: BBC)

Outras 148 baleias fins estão ameaçadas de morte pelo governo da Islândia, que vem ignorando os apelos internacionais para que pare com a matança e invista em turismo de observação.

Os corpos das baleias mortas na manhã de ontem já foram retalhados e empacotados para consumo, mas devem ter o mesmo destino de milhares de toneladas de carne obtidas em temporadas anteriores de caça - câmaras frigoríficas. Isso porque não há mercado para esse tipo de produto na Islândia ou em qualquer outro país.