João Talocchi, nosso campaigner que brilhou em Paris entregando um globo terrestre se derretendo a Lula, para acordá-lo para a questão da crise climática, mandou um e-mail contando o que aconteceu. Abaixo, alguns trechos de seu relato. Vale a pena ler. João viu a coisa toda se desenrolando de uma perspectiva que a imprensa não teria como registrar.

“Dois ativistas subiram no palco durante a entrega do prêmio. Havia uma multidão de fotógrafos e aproximadamente 5 chefes de estado no palco (Senegal, Cabo Verde, Brasil, o Primeiro Minsitro de Portugal e outro), além de personalidades políticas.

Na hora em que subimos, a cara do Lula foi impagável. A segurança demorou um bom tempo para retirar os ativistas com os banners e eu fiquei tentando passar um dos seguranças, chamando o Lula para pegar o globo. Ele fez que não ouviu duas vezes, a segurança me tirou, eu voltei e levei o globo até ele. Ele pegou com desdém, ouviu o pedido para salvar a Amazônia e passou o globo para o primeiro ministro de Portugal (eu acho), que estava atrás dele.

Quando a confusão acabou e ele fez seu discurso, começou falando do que havia acontecido, que eram jovens protestando e que estão fazendo um pedido justo, visto que a proteção da Amazônia é imprescindível. Acho que isso significa que ele ouviu a mensagem.”

Preso logo depois da atividade, João contou com a solidariedade dos policiais que o meteram em cana.

“Os policiais franceses que me levaram, disseram na delegacia que concordam com o Greenpeace nesse ponto e quiseram saber mais sobre as causas do desmatamento”.

Vive la France.