Voluntários do Greenpeace no pier Mauá, Rio de Janeiro, após dia agitado de visita pública ao Rainbow Warrior. (©Greenpeace/Rodrigo Paiva)

Durante quatro dias, cerca de 45 voluntários, integrantes da tripulação e funcionários do Greenpeace deram as boas-vindas aos cariocas no navio Rainbow Warrior com muita animação e dedicação. Cerca de 9.500 pessoas encararam com bom humor e disposição a longa fila que se formou no Pier Mauá, no centro do Rio de Janeiro.

Segundo a voluntária Julia Linhares, foi uma grande sacada a vinda do navio para a Rio+20. “O público foi muitíssimo receptivo. Nosso grupo se mobilizou para atender as pessoas sob o sol forte enquanto esperavam entrar no Guerreiro do Arco-Íris. Até música colocamos para distrair a todos”, conta Julia.

E a mais nova embarcação da organização recebeu visitas ilustres nesses dias como o líder indígena Almir Suruí; Marcos Palmeiras; integrantes do Paralamas do Sucesso; procurador federal do Pará, Felício Pontes; e o diretor executivo do Greenpeace Internacional, Kumi Naidoo.

Alexia Dechamps e Sérgio Marone, do projeto Gota D’Água, também passaram por aqui. Esses visitantes também assinaram a petição pelo desmatamento zero.

O navio abriu as portas para os Xavante, que fizeram um protesto denunciando como sua Terra Indígena Marãiwatsédé tem sido invadida e destruída estes anos todos por fazendeiros de gado, soja, madeireiros e corporações.

Chamou atenção a mais nova voluntária do Greenpeace, Mona Von Eitzen, de 9 anos, que com muita propriedade explicava os detalhes da embarcação. “Muito legal mostrar para as pessoas como este navio é ecológico e tecnológico”, disse.

“O que mais gostei de ver é que as pessoas saem no navio mais felizes, com um sorriso no rosto”, finaliza a voluntária Amanda de Moraes Estefan.

Leia mais:

 

Assine a petição.