O palco do duelo foi o programa do Heródoto Barbeiro, na CBN.  Na manhã de hoje, o apresentador promoveu um debate sobre o projeto de autoria do deputado Aldo Rebelo (PC do B) pedindo que a decisão do Supremo Tribunal de reconhecer a demarcação da terra indígena Raposa Serra do Sol, em Roraima, seja revista.

De um lado, o deputado Aldo Rebelo (PC do B) criava teorias conspiratórias sobre ONGs, especialmente o Greenpeace, que estariam a serviço de “interesses externos” para defender sua posição. Segundo o deputado, essas ONGs têm até programas de treinamento para índios ianomâmis nos Estados Unidos.

De outro, Sérgio Leitão, nosso diretor de campanhas lembrava ao deputado que, além de não serem verdades suas afirmações, o PCdoB sofreu perseguições semelhantes na década de 40, quando foi fechado, acusado de ser uma filial do partido comunista soviético.

O golpe de misericórdia foi quando Leitão afirmou que a proposta do deputado de anular a decisão do Supremo Tribunal Federal era um golpe parlamentar porque quando o legislativo diz que o que supremo decide não vale, está rasgando a constituição. A partir do momento que as decisões do supremo podem ser revogadas pelo legislativo fica decretado o fim do poder judiciário no Brasil.

O mais interessante dessa história é que o Greenpeace apóia e reconhece a legitimidade da luta dos índios pela demarcação de suas terras, mas não está envolvido diretamente nesta discussão. Só foi eleito pelo deputado como alvo, porque se encaixa como o suspeito perfeito na sua teoria conspiratória. Tem que ouvir para crer.