Os índios Parakanãs e o presidente da Funai, Márcio Meira, se reuniram esta semana para definir o que será feito com a Terra Indígena Apyterewa.  Os Parakanãs apresentaram um documento relatando que a Terra Indígena ainda está sendo invadida e pedindo providências do IBAMA e Polícia Federal. Os índios exigem a retirada imediata dos fazendeiros, que ocupam ilegalmente a área. De acordo com a Funai, este caso está imerso em burocracias. O enrosco agora são os cálculos das compensações de toda a infra-estrutura construída pelos fazendeiros  que se apossaram da terra antes do decreto de demarcação da terra indígena(de acordo com as leis brasileiras, o governo precisa reembolsar os fazendeiros por qualquer melhoria feita na área, até mesmo se a ocupação for ilegal).

©Greenpeace/Marizilda Cruppe/EVE

Além desses problemas práticos, o caso da terra indígena é difícil de ser resolvido porque há um grupo de políticos se opondo a retirada dos fazendeiros da área. Coincidência ou não, no mesmo dia, fazendeiros que ocupam a terra indígena ilegalmente protestaram em frente ao Ministério da Justiça contra a retirada deles da área. Atualmente, há mais de mil áreas griladas dentro da terra indígena e novos invasores não param de chegar; a maioria com a intenção de promover a pecuária na região.

Ao final da reunião, o presidente da Funai se comprometeu em fazer uma visita a terra indígena em agosto para explicar a situação a toda comunidade.

©Greenpeace/Marizilda Cruppe/EVE

Para saber mais sobre o que está acontecendo com os Parakanãs, assista um vídeo aqui.