O site do Greenpeace Internacional amanheceu às escuras hoje, em protesto contra o Congresso norte-americano, que está prestes a aprovar leis de censura à internet. Se aprovadas no parlamento, a Ação de Proteção ao IP e o Ato Contra a Pirataria Online (respectivamente PIPA e SOPA, nas siglas em inglês) permitiriam que empresas e o governo controlassem a nossa capacidade de acessar qualquer tipo de informação online.

Se tais propostas tornarem-se leis, sites como o do Greenpeace poderiam ficar fora do ar pelo simples fato de uma de nossas corporações-alvo registrar uma queixa alegando que os seus direitos de propriedade intelectual foram violados. Sem qualquer requerimento de prova, sem que nenhuma pessoa tenha sido consultada.

Outros sites também já aderiram ao protesto. Até o momento, pelo menos sete escritórios do Greenpeace mundo afora deixaram seus sites fora do ar em manifestação contra aprovação dessas leis. Elas são por si só uma clara demonstração de violação dos direitos individuais e têm de ser impedidas. Não deixe que os interesses corporativos censurem a internet.