Pinguins são adoráveis, mas há vários deles. Você consegue reconhecer a diferença entre cada um? Nós fizemos a nossa lista

Nem todos enfrentam o desafio de viver na Antártida. Mas aqueles que habitam o continente de gelo são realmente especiais. É bom lembrar, diferentemente das aves migratórias, os pinguins não têm o luxo de poder voar para longe quando o tempo fica ruim.

Enquanto seguimos com nossa campanha para proteger seu lar, por meio da criação de um santuário marinho no Oceano Antártico, elegemos os cinco tipos de pinguins mais fantásticos da Antártida. Conheça essas incríveis fofuras abaixo, mas antes, que tal assinar nossa petição pela Santuário que pode proteger essas espécies?

Assine a petição

 5. Gentoo

 

Eles são fáceis de identificar pela faixa branca triangular acima dos olhos, que se estende no topo de suas cabeças. Preferem as áreas livres de gelo, por isso se fixam na costa da península antártica e em suas ilhas no mar. Os Gentoos têm caudas semelhante a escovas. Eles costumam jogar suas cabeças para trás e fazer um som de trombeta muito alto – uma buzina que soa mais impressionante do que sua estatura de 75 cm pode sugerir. Gentoos felizes podem fazer centenas de mergulhos todos os dias em buscam de peixe, pequenas lulas e o krill, um pequeno crustáceo, tipo camarão, de 5 cm. Exímios nadadores, eles são considerados a ave mais rápida do planeta embaixo d’agua, atingindo velocidades de até 36 km/h.

4. Macaroni

 

Não, não é macarrão, é também mais uma espécie de pinguim, primo próximo do conhecido Rockhopper, também de penacho amarelo. O monogâmico pinguim-macaroni é o que vive mais ao sul entre a família dos pinguins com crista. Não gosta de se arriscar muito além das águas antárticas e fazem seus ninhos na península antártica e nas ilhas próximas. Mas será que com essa esplêndida crista amarela, essas desajeitadas bombas loiras devoradoras de krill poderiam ser mais adequadas a um cargo político? Donald Trump que o diga...

3. De Barbicha

 

Estes são pinguins que parecem usar um capacete. Os pinguins-de-barbicha podem parecer atarracados e sérios, e isso até faz sentido, pois sua sina não é motivo de riso. Monogâmicos, eles retornam todos os anos para o mesmo parceiro e o mesmo local de procriação, muitas vezes escolhendo ilhas rochosas difíceis de serem alcançadas para manter seus filhotes seguros. Mas essa segurança tem um custo: precisam percorrer penhascos perigosos e mares tempestuosos para poder alimentar seus companheiros e seus filhotes. No final das contas, um capacete não seria uma má ideia...

2. Imperador

 

Perdendo por pouco o primeiro lugar na nossa lista, está o pai de todos os pinguins: o pinguim-imperador. São a maior espécie viva de pinguins, podendo chegar a 1,3 metro de altura e pesar até 40 kg, aproximadamente o mesmo que uma criança de 12 anos. Não só eles são os maiores, mas também mergulham mais fundo, pelo menos 550 metros no gelado Oceano Antártico em busca de peixes e lulas.

Cientistas descobriram recentemente que os pinguins-imperadores são especialmente bem adaptados à vida subaquática graças a bolhas que os tornam tão hidrodinâmicos e eficientes quanto um nadador olímpico. Os pinguins-imperadores também são casca grossa, não só sobrevivem ao duro inverno antártico, como criam e alimentam seus filhotes fofinhos no meio dele.

Um amontoado embaralhado de pais caseiros permanecem nos ninhos para manter o calor e proteger seus ovos e filhotes recém-chocados, enquanto as fêmeas vão caçar para trazer comida. Eles são, sem dúvida, a maioria dos pinguins antárticos e, definitivamente, ganham o prêmio de "melhor pai" também.

1. Adélia

 

No topo da lista, o popstar da Antártida - o fofíssimo pinguim-de-adélia. Com não mais do que 70 cm de altura, esses pequenos foguetes podem parecer mal equipados quando se pavoneiam de forma desajeitada em terra, mas se transformam em torpedos quando estão na água caçando krills.

Eles são ridiculamente adoráveis, e provavelmente o mais pinguinoso de todos os pinguins. Mas por trás de tanta fofura, está um resistente especialista em Antártida. Encontrado em toda a costa do continente, eles não se criam em nenhum outro lugar da Terra e passam os rigorosos invernos entre blocos de gelo no Oceano Antártico.

São tão durões que eles fazem seus ninhos nas pedras! Os pedregulhos são a moeda que mantém a sociedade Adélia funcionando: são oferecidos como mimos em um galanteio e, se aceitos, usados para formar os ninhos; são roubados de vizinhos quando eles não estão olhando; e, err, trocados por alguns momentos de paixão.

Sim, os grandes imperadores são os reis indiscutíveis do continente de gelo, mas acreditamos que a pela pura graciosidade pinguim, entretenimento e destreza em pinçar pedrinhas tornam os pequeninos Adélia o pinguim mais irresistível da Antártida.

Willie Mackenzie é ativista de oceanos do Greenpeace no Reino Unido