Em Santarém (PA), ativistas denunciam um pátio cheio de madeira ilegal. Foto: Greenpeace/Karla Gachet

 

Um relatório divulgado durante a Conferência Mundial sobre Florestas, em Roma, mostra que, frequentemente, a devastação florestal está envolvida com atividades criminosas. Segundo os dados do estudo, feito em parceria entre o Programa da ONU para o Meio Ambiente (PNUMA) e a Interpol, entre 50% a 90% da extração de madeireira nos principais países tropicais da Bacia Amazônica, África Central e Sudeste da Ásia vem sendo realizada pelo crime organizado.

No documento, a Interpol observa que a atividade madeireira está associada ao aumento de violência e assassinatos contra os habitantes da floresta. Ao redor do mundo, o desmatamento é responsável por cerca de 17% das emissões de CO2 causadas pelo ser humano – um número 50% maior que a proveniente do setor de transportes, incluindo aviação, navegação e transporte terrestre.

O rastro do desmatamento, como se vê, é largo. E é justamente por esses motivos que, no Brasil, está em andamento uma aliança pelo desmatamento zero. Mais de 500 mil brasileiros já assinaram pelo projeto de lei de iniciativa popular que pretende acabar com a devastação no Brasil. Saiba mais aqui. Assine e compartilhe!

Assine a petição.