Entre visitas do público e ações de campanhas, nosso país foi uma “prova de fogo” para o barco mais icônico do Greenpeace 

Na sua rota pelo Brasil, a partida do Rainbow Warrior do Rio de Janeiro em direção a Santos.

 

Em sua primeira grande expedição, meses após ser lançado ao mar, o Raibow Warrior III veio ao Brasil, passando por diversas cidades do país: Manaus (AM), Santarém (PA), Macapá (AP), Belém (PA), São Luiz (MA), Recife (PE), Salvador (BA), Rio de Janeiro (RJ) e Santos (SP). Em cada parada, o barco abriu suas portas para a visitação pública, mas também atuou em prol de diversas campanhas do Greenpeace Brasil.

 

Na sua passagem pela Amazônia, o Rainbow Warrior apoiou a campanha pelo Desmatamento Zero.

 

Na Amazônia, além de lançar a campanha do Desmatamento Zero na capital do Amazonas, o navio ainda participou de uma assembleia flutuante, ajudou a denunciar uma madeireira ilegal da região e fez sua primeira ação. O protesto bloqueou o navio Clipper Hope, que estava prestes a fazer um carregamento de ferro gusa, matéria-prima do aço cuja cadeia produtiva envolve desmatamento ilegal, invasão de terras indígenas e trabalho escravo.

Em São Luiz do Maranhão, o bloqueio ao navio 'Clipper Hope', no Porto de Itaqui.

 

No Nordeste, o Rainbow Warrior promoveu as energias renováveis, como a solar e contou com grande participação do público, com direito a festa de Maracatu no porto e visitas ilustres, como a de Carlinhos Brown.

Rainbow Warrior no Recife atraiu milhares de pessoas por dia

 

Carlinhos Brown na ponte de comando do Rainbow Warrior, em Salvador

 

Ao chegar à cidade maravilhosa, para a Rio+20, a grande conferência da ONU para o desenvolvimento sustentável, o Rainbow Warrior foi palco de discussões sobre como formar um polo verde de Tecnologia da Informação na capital fluminense e também de protesto de índios Xavantes que há 20 anos aguardam a desocupação de suas terras por fazendeiros.

A tripulação e ativistas do Greenpeace se unem aos índios Xavante, do Mato Grosso, em ato pela defesa das suas terras, durante a Rio+20

 

Para quem participou de alguma dessas visitas e está com saudade do nosso Guerreiro do Arco-Íris, o momento de reencontrá-lo é agora. Ele estará no Rio de Janeiro novamente, de portas abertas para recebê-lo entre os dias 29 de abril e 1 de maio; e de 4 a 6 de maio. Confira os detalhes aqui.