“Hotel Mariana” dá voz aos sobreviventes do maior desastre ambiental do país em histórias que mesclam dor e indignação com muito amor e solidariedade

 

Foto: Marcos Ventura

 

Criado a partir de relatos emocionantes de atingidos pelo crime ambiental da mineradora Samarco, que ocorreu em novembro de 2015 na bacia do Rio Doce, o espetáculo Hotel Mariana estreou dia 6 de maio na Estação Satyros, em São Paulo. A peça adota a técnica verbatim,  um tipo de teatro que reproduz as palavras exatas de pessoas reais gravadas em entrevistas e conversas sobre um determinado tema ou evento.

“Durante a apresentação, os atores usam fone de ouvido e reproduzem instantaneamente o que eles estão ouvindo, que são os depoimentos. O objetivo é reproduzir o áudio da maneira mais fiel e atingir um grau de autenticidade que se aproxime da natureza de cada entrevistado”, explica o diretor Herbert Bianchi.

Cerca de 40 entrevistas foram gravadas pelo ator Munir Pedrosa, idealizador do projeto, com moradores de Bento Rodrigues e Paracatu de Baixo, os distritos mais atingidos pela onda de lama. “Começamos então, eu e Munir, um trabalho de dramaturgia que se estendeu por dois meses, ouvindo, transcrevendo, selecionando e entrecruzando os depoimentos a fim de gerar um recorte com sentido narrativo”, conta Bianchi.

O resultado são 13 depoimentos perturbadores e surpreendentes que evidenciam no palco a simplicidade de pessoas que perderam tudo ou quase tudo o que tinham. Da criança do grupo escolar ao velho da folia de reis, do ativista de direitos humanos à aposentada que escreve poemas, somos convidados a escutar os sobreviventes que, com suas histórias repletas de dor e amor, traçam um panorama político, histórico e cultural do nosso país. E, principalmente, não nos deixam esquecer essa tragédia.

Foto: Marcos Ventura

 

Passados um ano e meio, pouco foi feito pelas empresas responsáveis e pelo poder público para compensar os danos irreparáveis aos atingidos e ao meio ambiente. Ao contrário, como o Greenpeace vem mostrando nos resultados das pesquisas de impacto socioambiental, os moradores da Bacia do Rio Doce continuam sendo afetados em sua saúde e em seus direitos pela lama e pelo descaso.

Elenco: Angela Barros, Bruno Feldman, Clarissa Drebtchinsky, Fani Feldman, Isabel Setti, Lucy Ramos, Marcelo Zorzeto, Munir Pedrosa, Rita Batata, Rodrigo Caetano

HOTEL MARIANA

Temporada: 6 de maio a 10 de julho.
Horários: Sábados e segundas, às 20h; domingos, às 18h.
Local: Estação Satyros - Praça Franklin Roosevelt, 134 - São Paulo – SP
Classificação: Livre
Duração: 70 minutos
Ingressos: R$ 30. Segunda: grátis.