Os tripulantes do Esperanza agradecem o apoio à campanha pela proteção do Ártico (©Jiri Rezac/Greenpeace)

 

Protestos em dezenove países, em 110 cidades diferentes, e 1 milhão de assinaturas pela criação de um santuário no Ártico para proteger o frágil ecossistema. Estes são alguns dos resultados alcançados pelo Greenpeace durante a semana passada e que nos ajudam a impedir que a Shell dê continuidade aos seus arriscados planos de exploração de petróleo na região.

Leia mais:

Na Holanda, o escritório da Shell foi bloqueado por ativistas que impediram a entrada dos funcionários enquanto o escritório do diretor-executivo Peter Voser era ocupado por Sylvia Borren, diretora-executiva do Greenpeace Holanda. Postos de combustível foram fechados na Alemanha e no Reino Unido e, em Houston, nos Estados Unidos, o Arctic Ready fez uma paródia das propagandas da Shell ironizando as justificativas que a empresa dá para explorar petróleo no Ártico.

O apoio à campanha pela proteção do Ártico também teve repercussão na internet. Mais de um milhão de pessoas assinaram a petição que pede que a região seja protegida -- a expectativa era de que esta meta só fosse atingida em 2013. Agora, o Greenpeace quer conseguir 2 milhões de assinaturas até o começo do ano que vem.

Se você também quer proteger o Ártico, participe da campanha global do Greenpeace e nos ajude a conseguir 2 milhões de assinaturas. Assine a petição no site e divulgue, ajudando na criação do santuário que protegerá a região da exploração industrial de seus recursos naturais.

Assine a petição