Prefeitura informa que edital da licitação dos ônibus de São Paulo terá metas de redução de poluentes mas, nos bastidores do poder, elas ainda correm risco

Após a pressão pública, o secretário municipal de Transportes de São Paulo, Sérgio Avelleda, informou que o novo edital de licitação das linhas de ônibus terá metas claras que garantam o fim do uso do diesel no transporte público da capital. A declaração inédita, registrada em ata, ocorreu durante a audiência com a 5° Promotoria de Justiça do Meio Ambiente da Capital, na qual participaram o Greenpeace e a Secretaria do Verde e Meio Ambiente. 

©Rogério Assis/Greenpeace

 
Sem dúvida é um avanço, pois a licitação é determinante para apontar os tipos de veículos que vão circular nas ruas nos próximos 20 anos. Mas é preciso vigilância: as metas correm o risco de serem insuficientes em função de lobby e de interesses privados que serão contrariados.

Um exemplo é o projeto de lei do vereador Milton Leite (DEM) que está para ser votado em breve na Câmara Municipal. Apesar de a Lei do Clima de Sao Paulo determinar, desde 2009, que toda a frota de ônibus rode apenas com combustível 100% renovável a partir de 2018, o vereador quer nos manter amarrados ao diesel até 2037, ou seja, por mais 20 anos, atropelando a Lei do Clima, e indo na contramão de países como Noruega, França, Alemanha e Reino Unido, que já estabeleceram o fim dos veículos a diesel para a próxima década.

 O Greenpeace vem mostrando que a transição para combustíveis renováveis é necessária e urgente, uma vez que cerca de 4 mil pessoas morrem todos os anos  na cidade de São Paulo em decorrência da poluição gerada pelos ônibus. Além disso, a adoção dos veículos elétricos é viável e um grande estímulo econômico e tecnológico para a cidade, como já demonstramos.

 Continuamos monitorando as ações das secretarias e da Prefeitura a fim de garantir uma cidade livre de poluentes e mais saudável para a população. Apoiamos uma transição eficiente e rápida, dada a urgência do tema e já demonstramos que ela pode ser feita num curto espaço de tempo.