Obama diz apoiar proteção do Ártico

Adicionar comentário
Notícia - 3 - fev - 2014
Após viagem à região com Greenpeace, músico Alejandro Sanz pede a Obama que tome medidas concretas e presidente sinaliza apoio

O encontro de Alejandro Sanz com Obama. Foto: Greenpeace

 

A campanha do Greenpeace para proteger o Ártico chegou à Casa Branca. O presidente Barack Obama respondeu ao músico Alejandro Sanz – que apoia o Greenpeace na missão – ao pedido de que os Estados Unidos apoiem a criação de um santuário no Ártico. Obama afirma, numa carta dirigida ao músico, que “o Ártico desempenha um papel fundamental nos nossos esforços para combater as alterações climáticas”, e reconhece que “todos somos parte da sua proteção e conservação”.

Alejandro Sanz comemorou: "Agradeço profundamente ao Presidente Obama a resposta positiva a um pedido pessoal, em nome do Greenpeace e de todas as milhões de pessoas que assinaram para a proteção do Ártico. Seu compromisso é um grande impulso para a nossa causa", disse o músico.

Para o Greenpeace, o ato inédito de Obama ter reconhecido pessoalmente a importância do Ártico é um passo muito importante. Mas a organização insiste que ele assuma a liderança, entre as outras nações no Ártico, para a criação de um santuário na região.

“Este é o momento para que o presidente se torne líder mundial para proteger o legado das gerações futuras, como se comprometeu no início do seu mandato. O primeiro passo é impedir que a exploração do petróleo avance sobre o Ártico da América do Norte”, disse Pilar Marcos, um dos coordenadores da campanha do Ártico do Greenpeace.

Sobre isso, o próprio Obama afirmou que “durante muito tempo houve uma íntima relação entre as companhias de petróleo e a agência federal, que lhes permitiu fazer perfurações para procurar petróleo. É como se as autorizações fossem, muitas vezes, emitidas com poucas garantias de segurança por parte das companhias de petróleo”, ele disse.

Alejandro Sanz viajou com a Greenpeace neste verão até o coração do Ártico na Groenlândia. Depois de ver em primeira mão o derretimento acelerado do gelo e as ameaças que resultariam das perfurações para procurar petróleo, deu ao Presidente, durante uma recente visita à Casa Branca, uma carta em que pedia a adesão à “Declaração Internacional pelo futuro do Ártico”.

As palavras de Obama coincidem com outra boa noticia para o futuro do Ártico. Pelo segundo ano consecutivo, graças à pressão mundial e à ação da justiça, a Shell decidiu suspender o seu programa no Alasca durante 2014. A Shell pretendia continuar com o seus planos de perfuração no mar de Chukchi, no Alasca, graças a licenças de exploração concedidas pelo governo dos EUA em 2008. O próximo passo necessário é que a Shell cancele definitivamente o seu programa de perfurações.

Já são mais de cinco milhões de pessoas em todo o mundo que assinaram a petição pedindo um santuário no Ártico. Assine você também aqui.

Tópicos
Nenhum comentário encontrado. Adicionar comentário

Postar um comentário 

Para postar um comentário, você precisa estar logado.