Lambe-lambes espalhados por quatro cidades marcam 25 anos do assassinato de Chico Mendes

1 comentário
Notícia - 21 - dez - 2013
Pontos emblemáticos amanhecem com homenagem a um dos maiores líderes defensores da floresta amazônica e seus povos tradicionais

Lambe-lambes espalhados por quatro cidades marcam 25 anos do assassinato de Chico Mendes. (©Greenpeace/Brunno Marchetti)

 Desde a madrugada deste sábado (21), os moradores de São Paulo, Belo Horizonte, Manaus e Campos do Jordão estão se deparando com lambe-lambes com o rosto do líder seringueiro Chico Mendes, espalhado por diversas regiões. Nos cartazes, a mensagem “Sempre presente” busca aguçar a curiosidade dos motoristas e pedestres sobre a vida e história deste personagem brasileiro.

“Chico foi morto com um tiro no peito, em uma emboscada, lá em 1988. O assassinato teve repercussão enorme à época, do tamanho do legado que ele nos deixou, porque havia mobilização e a opinião pública entendeu a importância da luta encampada por ele e seus companheiros. Hoje, passados tantos anos, a Amazônia continua sofrendo atentados no campo político e toda sorte de violência com o avanço das fronteiras, mas a execução de gente que adotou a mesma luta como Dorothy Stang, Zé Maria, Dezinho e tantos outros já não causa a mesma comoção. Temos que resgatar a história e a memória dessa gente”, defende Danicley de Aguiar, coordenador da campanha da Amazônia do Greenpeace Brasil.
Vários pontos emblemáticos e de alta rotatividade em São Paulo como a Avenida Paulista, Teatro Municipal, Ponte Estaiada, Praça da Sé, Pátio do Colégio, cercanias de estações de metrô e centro velho, por exemplo, estampam agora a homenagem a Chico Mendes. 

 

 

“A mensagem remete a uma tradição dos movimentos sociais no Brasil e na América Latina, a de relembrar seus mártires, sem permitir que suas lutas e legados caiam na vala comum do esquecimento. Chamando nome a nome, durante as mais importantes reuniões, é que os líderes atuais resgatam a história dos que se foram”, explica Danicley.

Além da mensagem e do rosto de Chico, os cartazes possuem ainda um código QR que pode ser reconhecido por câmeras de celular e conduz o internauta para uma página do Greenpeace com conteúdo específico sobre a vida e legado de Francisco Alves Mendes Filho. São entrevistas, vídeos e textos que relacionam a construção da Aliança dos povos da Floresta com a questão indígena atual, lembram a violência que persiste no campo, os embates pacíficos contra a derrubada da floresta e o avanço da agropecuária sobre territórios tradicionais de comunidades nativas. 

 

Tópicos
1 comentário Adicionar comentário

(Não registado) ADEILSON says:

A proposta da "União dos Povos da Floresta", criadada por Chico Mendes foi um marco em 1985, no 1º encontro nacional dos seringuei...

Enviado 7 - jan - 2014 às 18:25 Denunciar abuso Reply

Read more Read less

Postar um comentário 

Para postar um comentário, você precisa estar logado.