Congresso Nacional oferece apoio a Ana Paula

Adicionar comentário
Notícia - 23 - out - 2013
Parlamento brasileiro escreverá ao Parlamento russo, para que intervenha no caso da ativista presa. Carta deverá ser entregue em mãos, por comitiva de parlamentares

Congresso Nacional fará pedido oficial de libertação de Ana Paula. Foto: Antonio Cruz / Agência Brasil

O presidente do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), anunciou nesta quarta-feira (23) que o Parlamento brasileiro fará um pedido oficial de libertação da ativista brasileira do Greenpeace, Ana Paula Maciel, que está presa na Rússia. Essa carta será direcionada ao Parlamento russo e deverá ser entregue pessoalmente por uma comitiva de parlamentares.

Calheiros já havia se manifestado, semana passada, enquanto presidente do Senado, a favor da libertação da ativista. Ele enviou uma carta à presidente do Conselho Federal da Rússia, Valentina Matvienko, cobrando “uma solução positiva para o caso da brasileira Ana Paula Maciel”.

Agora, o presidente se comprometeu a realizar uma ação mais incisiva, em nome de todo o Congresso Nacional. “Contem com a nossa solidariedade. Saiam daqui com a certeza de que iremos até o nosso limite institucional para buscar uma solução e trazer a Ana Paula de volta”, garantiu.

A decisão foi resultado de uma reunião que aconteceu nesta manhã, organizada pelas Frentes Parlamentares Ambientalista e em Defesa dos Direitos Humanos. Estiveram presentes os deputados Sarney Filho (PV-MA), Erika Kokay (PT-DF), Jean Wyllys (PSOL-RJ), Chico Alencar (PSOL-RJ) e José Luiz Penna (PV-SP), além de um representante da deputada Janete Capiberibe (PSB-AP).

“A audiência que tivemos hoje com o presidente do Congresso Nacional mostra o apoio que Ana Paula vem recebendo das mais diferentes instâncias aqui no Brasil. Essa mobilização, com destaque para a ação do Parlamento brasileiro, é fundamental para que ela volte para casa o mais rápido possível”, comentou Sérgio Leitão, deiretor de Políticas Públicas do Greenpeace.

A bióloga Ana Paula, de 31 anos, está em prisão preventiva desde o dia 19 de setembro. Ela foi acusada de pirataria, junto com outras 29 pessoas, após um protesto pacífico feito em águas internacionais contra a exploração de petróleo no Ártico.

Nos últimos dias, o apoio pela libertação dos ativistas já vinha crescendo no Congresso. Já haviam se manifestado a Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara dos Deputados, a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa e a Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, ambas do Senado Federal.

Os advogados do Greenpeace Internacional continuam apelando à Justiça russa pela liberdade provisória dos ativistas, sob fiança, durante as investigações. Até agora, o tribunal do país negou o pedido a 27 dos 30 presos. A audiência da bióloga brasileira Ana Paula ainda não tem data marcada.

Nenhum comentário encontrado. Adicionar comentário

Postar um comentário 

Para postar um comentário, você precisa estar logado.