O potencial escondido no horizonte

3 comentários
Notícia - 1 - jun - 2012
Greenpeace lança o documento “Horizonte Renovável”, fruto de uma expedição por todo o Brasil para documentar o avanço das energias renováveis no país

Do Ceará ao Rio Grande do Sul, do Amazonas a São Paulo, o Greenpeace registrou imagens e depoimentos sobre como as energias provenientes do Sol, dos ventos ou mesmo da biomassa já se tornaram uma realidade no país.

A publicação é o nosso testemunho de que podemos ter energia sem que seja necessário destruir a floresta ou afetar a vida de milhares de pessoas, como acontece quando se constrói grandes hidrelétricas na Amazônia. Ou ainda, sem colocar em risco permanente os que vivem em áreas de impacto das usinas atômicas, quando a opção é por expandir a exploração da energia nuclear.

O documento acompanha um mapa que apresenta o potencial de geração destas novas fontes renováveis no Brasil. O documento mostra que, com investimentos e vontade política, as fontes de geração sustentáveis têm todas as condições de atender à demanda energética atual e futura de um país em pleno crescimento.

Acesse aqui as novas publicações:

O potencial de fontes renováveis como eólica, biomassa e energia dos oceanos pode atender a mais de cinco vezes a demanda brasileira por eletricidade. E quando o assunto é energia solar, uma área de apenas 400 km2 de painéis solares seria capaz de atender à demanda atual nacional. Para efeito de comparação, esse tamanho é menos de 1% da área total do estado de Pernambuco, diz Ricardo Baitelo, coordenador da campanha de Clima e Energia do Greenpeace.

Com uma orientação política clara e consciente, o Brasil tem todas as condições para se tornar a primeira grande potência energética de matriz quase 100% limpa, conforme o Greenpeace demonstrou em seu relatório [R]evolução Energética. Infelizmente, o país dá sinais de que prefere colocar esforços e investimentos em combustíveis fósseis, a despeito dos graves riscos ambientais.

Veja as belezas das energias renováveis no Brasil:

A exploração do pré-sal, por exemplo, vai exigir R$ 686 bilhões em investimentos entre 2011 e 2020. Essa é uma escolha que pode se revelar desastrosa do ponto de vista estratégico, justo quando a iminência de um desastre climático empurra o mundo a discutir alternativas ao petróleo.

3 Comentários Adicionar comentário

(Não registado) Jarbas says:

"energia solar, uma área de apenas 400 km2 de painéis solares seria capaz de atender à demanda atual nacional."

...

Enviado 23 - jul - 2012 às 14:48 Denunciar abuso Reply

Read more Read less

Xerxes says:

Ótima tecnologia, plenamente aplicável no Brasil..

Porém, ainda são caras, para a maior parte da população. Aliás, a energia hidroelétrica é mais barata, ou seja, só os mais ricos, podem se dar o luxo de não "gastar" o planeta. kkk

Outro problema é que são desconhecidas, quando o pessoal conhece, em geral tem uma ideia de ineficiência(Falta de abundância, falta fartura).

Já fez um orçamento para colocar uma casa funcionar plenamente só com célula fotovoltaica.?? Faça, faça..

Abraços.

Enviado 1 - jun - 2012 às 23:31 Denunciar abuso Reply

SOS PLANETA says:


O Brasil em matéria de energia renovável não deixa nada a desejar aos países ricos.
E isso o futuro!!!

Enviado 1 - jun - 2012 às 18:13 Denunciar abuso Reply

1 - 3 de 3 resultados.

Postar um comentário 

Para postar um comentário, você precisa estar logado.