Suporte de peso aos 30 presos na Rússia

Adicionar comentário
Notícia - 23 - out - 2013
União Europeia expressa forte apoio a ativistas do Greenpeace e jornalistas detidos após protesto contra exploração de petróleo no Ártico

Tripulação do Arctic Sunrise, que está em prisão preventiva na Rússia (© Denis Sinyakov / Greenpeace).

O número crescente de pessoas ao redor do mundo que têm manifestado sua apreensão com o destino dos 28 ativistas e dois jornalistas presos na Rússia ganhou um novo peso nesta quarta-feira. Em reunião no Parlamento Europeu, em Estrasburgo, o comissário Janez Potočnik discursou em nome da Comissão Europeia, demonstrando preocupação não só com a situação dos ativistas, mas também com o motivo pelo qual eles protestavam: os perigos da exploração de petróleo no Ártico.

Leia mais:

“Enquanto a nossa preocupação imediata é a continuação da detenção e as acusações manifestamente desproporcionais apresentadas contra os detidos, não devemos perder de vista a questão para a qual eles estavam atraindo a nossa atenção. Aquela que todos nós devemos levar muito a sério: como garantir que as atividades econômicas no Ártico não ponham em risco o frágil meio ambiente da região.”

Mais de 90 membros do Parlamento Europeu assinaram uma declaração de solidariedade pedindo a libertação imediata dos ativistas. Os parlamentares, de 20 países e sete diferentes grupos políticos, também pediram a proibição da exploração no Ártico, onde as condições climáticas extremas tornariam impossível a limpeza do local caso haja um derramamento de óleo.

“As mudanças climáticas já estão impactando significativamente o meio ambiente do Ártico e a exploração dos recursos naturais da região representa uma ameaça a mais caso não seja realizada de maneira sustentável, com todas as precauções necessárias no local e em consulta com as pessoas que ali vivem. Nós não podemos sequer começar a imaginar o impacto que um grande vazamento de petróleo teria sobre o ambiente do Ártico, nem a dificuldade e os custos de tentar limpá-lo”, acrescentou Potočnik.

Jorgo Riss, diretor do Greenpeace europeu, disse que o reconhecimento dos perigos da perfuração no Ártico pela União Europeia “é encorajador”.  “Ficamos muito satisfeitos com a preocupação da Comissão com as pessoas que protestaram contra os planos imprudentes da Gazprom e espero que o crescente movimento mundial de apoio ajude a obter a libertação dos nossos ativistas e dos jornalistas”, completou.

Também discursando em Estrasburgo hoje, Knut Fleckenstein, presidente da delegação da União Europeia-Rússia no Parlamento Europeu, disse que “protesto pacífico não deve ser rotulado como pirataria” e prometeu pleitear a libertação do ativistas em reuniões com deputados russos na cidade de Moscou na próxima semana.

A chanceler alemã Angela Merkel , a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, e 11 vencedores do prêmio Nobel da Paz tambem já se pronunciaram sobre o caso. Mais de 1,6 milhão de pessoas enviaram cartas às embaixadas russas em todo o mundo. Enquanto isso, dezenas de milhares de pessoas tomaram as ruas em várias cidades de todos os continentes. A Federação Internacional de Jornalistas e a Federação Europeia de Jornalistas também pediram a libertação dos dois jornalistas detidos.

Libertem nossos ativistas

Tópicos
Nenhum comentário encontrado. Adicionar comentário

Postar um comentário 

Para postar um comentário, você precisa estar logado.