Ativistas do Greenpeace podem ser deportados

Notícia - 25 - ago - 2002
Novas acusações contra ambientalistas que escalaram reator nuclear na África do Sul

O Greenpeace condenou hoje a possibilidade de deportar os doze ativistas presos durante o protesto realizado no reator nuclear de Koeberg no último sábado, dia 24. Oficiais da Imigração sul- africana informaram que a deportação dos manifestantes pode ocorrer antes mesmo do término da Cúpula Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável.

O protesto aconteceu logo ao amanhecer e tinha por objetivo chamar a atenção dos líderes mundiais reunidos em Joanesburgo - sede da Rio+10 (1) - para o perigo nuclear. Os ativistas escalaram os prédios do reator e estenderam uma faixa na qual lia-se "Perigo nuclear fora da África".

Os ativistas, de nove países diferentes (2), foram hoje até a Corte de Atlantis, próxima a Koeberg, acusados de invasão de propriedade privada. Uma nova acusação também foi feita: os ativistas teriam violado a segurança de uma instalação considerada área de segurança nacional. Os advogados dos doze ativistas entrarão com recurso junto à Promotoria Pública nos próximos dias.

"A ação do Greenpeace em Koeberg foi uma manifestação pacífica com a finalidade de destacar os perigos da indústria nuclear e pedir que o governo da África do Sul escolha o caminho da energia limpa e renovável. Não é o Greenpeace que representa uma ameaça à segurança da África do Sul, e sim o uso e o desenvolvimento de energia nuclear", disse Traci Romine, diretora de campanhas do Greenpeace Brasil.

Desde o dia do protesto, um barco da marinha sul-africana tem vigiado de perto o MV Esperanza, embarcação do Greenpeace que está ancorada no porto da Cidade do Cabo. O barco da organização ambientalista ficará na África do Sul até o final da Cúpula de Joanesburgo, no dia 04 de setembro.

Todos os doze ativistas do Greenpeace envolvidos no protesto do último sábado deverão voltar à Corte de Atlantis às 9:00 da sexta-feira, dia 30 de agosto de 2002.

(1) Para mais informações sobre a Cúpula Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável, visite: www.greenpeace.org.br/rio+10

(2) Os ativistas vêm da Argentina, Espanha, Reino Unido, Canadá, Líbano, Holanda, Nova Zelândia, México e Austrália.

Tópicos