Operações de desmate interrompidas

Adicionar comentário
Notícia - 12 - nov - 2009
Ativistas do Greenpeace cobram liderança do presidente norte-americano, Barack Obama, no controle da destruição bárbara das florestas tropicais na Indonésia.

Ativistas do Greenpeace se acorrentam a escavadeiras da empresa APRIL, uma das maiores companhias de papel e celulose operando na Indonésia.

Cinquenta ativistas - da Indonésia, Filipinas, Tailândia, Espanha, Alemanha, Bélgica, Brasil e Finlândia - bloquearam operações de desmatamento no coração da floresta tropical da Indonésia. A destruição dessas florestas levou o país ao terceiro lugar no ranking de países que mais emitem gases do efeito estufa, sendo superado apenas por Estados Unidos e China.

A ação foi realizada na Península de Kampar. Um dos grupos de ativistas estendeu um banner de 20 x 30 metros em uma área de floresta recentemente destruída, que dizia "Obama, você pode impedir isso". A mensagem cobra liderança do presidente americano e trabalho conjunto com outros chefes de estado no combate ao desmatamento mundial, a fim de evitar uma crise climática. Enquanto isso, outro grupo de ativistas se acorrentava a sete escavadeiras da empresa APRIL, uma das maiores companhias de papel e celulose da Indonésia.

Em uma carta de esclarecimento, a APRIL afirma não realizar mais operações na Península de Kampar. Apesar disso, o Greenpeace apresentou no início dessa semana evidências - inclusive imagens aéreas - de que a exploração continua. E mais: há indícios que as escavações estão atingindo profundidades superiores a três metros e atingindo a chamada "floresta de turfa", o que é proibido por lei no país.

Com até um quinto das emissões globais de gases com efeito de estufa provenientes da derrubada e queima florestas, não poderemos evitar uma catástrofe climática a menos que os líderes mundiais tomem medidas efetivas. A ação acontece pouco antes da reunião de Obama com outros 20 líderes mundiais em Singapura, no Fórum de Cooperação Econômica Ásia Pacífico (APEC) e apenas algumas semanas antes da reunião de Copenhague. 

Tópicos
Nenhum comentário encontrado. Adicionar comentário

Postar um comentário 

Para postar um comentário, você precisa estar logado.