Greenpeace distribui guia sobre certificação florestal para madeireiros

Notícia - 10 - jul - 2002
Guia fornece informações sobre práticas de manejo sustentável para a Amazônia Brasileira

O Greenpeace iniciou hoje a distribuição oficial de um guia prático sobre certificação florestal (1) para madeireiros que atuam na Amazônia Brasileira. O material faz parte da campanha para promover a adoção de práticas sustentáveis na região, onde muitos empresários e profissionais do setor madeireiro têm dificuldades para aperfeiçoar suas operações por falta de conhecimento e informações (2).

Desde 1994, o Greenpeace vem atuando na Amazônia contra a madeira de origem ilegal e a exploração predatória, resultado de desmatamentos e Planos de Manejo Florestal (PMFs) legalmente autorizados que, na prática, não promovem o uso responsável dos recursos naturais. O Greenpeace vê a certificação florestal como uma ferramenta para mudar esta realidade, aliando a conservação dos remanescentes florestais com atividades econômicas ambientalmente sustentáveis.

O guia trata do FSC, sigla em inglês do Conselho de Manejo Florestal (Forest Stewardship Council) - um sistema de certificação independente integrado por representantes de empresas madeireiras, organizações ambientalistas e do setor social. Os princípios e critérios do FSC vêm sendo longamente discutidos no Brasil e, em 2001, o FSC reconheceu os padrões de manejo para floresta de terra firme na Amazônia. Sediado em Brasília, o FSC atua no País desde 1994.

Mundialmente reconhecido, o FSC é o único sistema de certificação amplamente apoiado por produtores, consumidores, entidades ambientalistas, comunidades e trabalhadores, por atender a padrões nacionais e internacionais de manejo florestal e por incorporar de forma equilibrada os interesses de grupos sociais, econômicos e ambientais.

A certificação é, atualmente, a melhor forma de atestar que o manejo de florestas nativas ou plantações é realizado de maneira eficaz, ambientalmente adequada, transparente e economicamente viável. O selo FSC - também conhecido como selo verde - assegura transparência em todo o processo, desde a extração da madeira na floresta, passando pelo processamento na indústria até chegar ao consumidor final. Funciona como uma garantia de que uma série de medidas de conservação e precaução foi adotada - tais como respeito ao meio ambiente e aos direitos de trabalhadores, povos indígenas, comunitários e ribeirinhos.

"Este guia é uma introdução ao mundo da certificação florestal. Com ele, o responsável pelo manejo de florestas poderá adquirir noções básicas sobre o que é a certificação e o FSC, como e quem pode obtê-la, as vantagens e os investimentos necessários, além de ter acesso a inúmeras fontes de informação e endereços", explica Marcelo Marquesini, engenheiro florestal da campanha da Amazônia do Greenpeace. "Atualmente, o FSC é o sistema mais coerente do ponto de vista sócioambiental e, por isso, é apoiado pelo Greenpeace".

Apesar da certificação do FSC existir há aproximadamente dez anos e o Brasil já possuir mais de 1,2 milhão de hectares de florestas certificadas, os madeireiros na Amazônia carecem de informações. "O guia está sendo distribuído a todas as empresas madeireiras que operam na Amazônia Legal, porque acreditamos que empresários bem informados podem fazer a diferença", conclui Marquesini.

 (1) O Guia sobre Certificação Florestal pelo FSC elaborado pelo Greenpeace está disponível para download. Também pode ser obtido via fax: (92) 627.9004

(2) Veja íntegra da carta enviada pelo Greenpeace aos madeireiros que operam na Amazônia Brasileira no site do Greenpeace.

Tópicos