Minc visita Arctic Sunrise em Belém e faz promessas

Notícia - 28 - jan - 2009
Ministro do Meio Ambiente visita o navio do Greenpeace, na Estação das Docas, e diz que vai encontrar 'rápida solução' para invasão de reserva extrativista em Porto de Moz (PA). Prometeu ainda apoio a projeto de lei que cria marco regulatório para energias renováveis no Brasil.

Ministro do Meio Ambiente visita o navio do Greenpeace.

Promessa é dívida, e o Ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, devesaber disso. Em visita nesta quinta-feira (29/1) ao navio ArcticSunrise, do Greenpeace, na Estação das Docas, Minc prometeu solucionara questão da reserva extrativista Verde Para Sempre, em Porto de Moz(PA), que foi criada pelo governo federal em 2004 mas ainda não foiimplementada. Ao ser questionado sobre o assunto, o ministro prometeuagilizar a realização de um plano de manejo e determinar queatividades ilegais na reserva promovida pelos invasores sejamcoibidas. O plano de manejo é fundamental para dar as diretrizes paraas atividades que podem ser realizadas dentro da reserva, que é umaUnidade de Conservação.

No último dia 18 de janeiro, o Greenpeace denunciou o ingresso demadeireiros e criadores de gado na reserva, inflando um boi de quatrometros dentro da reserva. Veja aqui o vídeo.

Veja as fotos da visita do Ministro:

O ministro Carlos Minc, que ficou pouco mais de 1 hora e meia nonavio Arctic Sunrise conhecendo um pouco da expedição Salvar o Planeta.É Agora ou Agora que o Greenpeace está promovendo pelo país, estavaacompanhado do presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação daBiodiversidade (ICMBio) e se encontrou no barco com Paulo Adario,diretor da campanha de Amazônia do Greenpeace Brasil; Sérgio Leitão,diretor de campanhas, e Rebeca Lerer e Tica Minami, coordenadoras daexpedição Salvar o Planeta. É Agora ou Agora.

Minc também reafirmou, durante o encontro, seu apoio às energiasrenováveis, dando seu apoio ao projeto de lei que cria o marcoregulatório no país e à realização de novos leilões para oferta deenergia eólica no mercado brasileiro.

"A presença do ministro Carlos Minc aqui em nosso navio foi importanteporque pudemos discutir com ele questões fundamentais da situação daAmazônia, em particular a situação preocupante da reserva Verde ParaSempre, em Porto de Moz (PA). O que acontece lá é um exemplo daausência de governança na região", afirmou Paulo Adario.

Minc não deu prazo para cumprir suas promessas, mas o Greenpeace vai cobrar o cumprimento delas. Pode conferir!

Visite o blog da expediçãopara saber mais detalhes do que está acontecendo em Belém! Destaquepara as palestras que fizemos no Forum Social Mundial, sobre energiasrenováveis e impactos da pecuária na Amazônia.

Mais quatro dias de open boat

Em meio à rica programação do Fórum Social Mundial, oGreenpeace retomou nesta quinta-feira a visitação pública ao navioArctic Sunrise na Estação das Docas. Antes mesmo do horário previstopara o início da atividade, dezenas de pessoas aguardavam na'escadinha' entre os armazéns 3 e 4 do porto da cidade para conhecerdetalhes da expedição Salvar o Planeta. É Agora ou Agora e também sobreo navio, que está com o Greenpeace desde 1995.

O Arctic Sunrisefoi construído em 1975 e usado para caçar focas. O Greenpeace perseguiumuito o Arctic nesse período. Em 1995, o barco acabou - por ironia dodestino - nas mãos da organização ambientalista, que o usou paraimpedir tanto a caça de focas como a de baleias também. O Arctic é umnavio quebra-gelo, preparado para navegar pelas águas geladas dos pólosdo planeta, onde já esteve por diversas vezes. A última vez que oArctic Sunrise veio ao Brasil foi em 2006, quando também esteve abertopara visitação pública.

Além do público em geral, algumaspersonalidades do Fórum Social Mundial vieram até a Estação das Docasconhecer o navio do Greenpeace e a campanha organizada para pressionaro governo brasileiro a liderar as negociações na próxima reunião da ONUsobre clima, marcada para dezembro em Copenhagen (Dinamarca). Jápassaram pelo navio Oded Grajew (Instituto Ethos), Mário Mantonavi (SOSMata Atlântica), vereadora Aspásia Camargo (PV-RJ), o ex-deputado JoãoAlfredo (Ceará), David Stang (irmão da missionária Dorothy Stang, assassinada por pistoleiros em 2005 na cidade de Anapu, no Pará), liderançascomunitárias de Porto de Moz, entre outros.

Índios da aldeiaApiterewa, em Altamira (PA), também prestigiaram o Arctic Sunrise,depois de se deslocarem por um dia e meio de barco pela florestaamazônica e mais um dia de ônibus para chegarem a Belém a tempo departicipar do Fórum Social Mundial (FSM).

O Arctic Sunrise vaificar cerca de três meses no Brasil dentro da expedição Salvar oPlaneta. É Agora ou Agora, que começou em Manaus no início de janeiro.Depois de Belém, o navio e a expedição vão para Fortaleza, Recife,Salvador, Rio de Janeiro e Santos. Confira aqui as datas e locais exatos dos próximos open boats.

Tópicos