Onze substâncias químicas prejudiciais que deveriam ser eliminadas

Página - 22 - ago - 2011
A campanha Detox do Greenpeace visa a impedir a poluição industrial e o envenenamento das águas com substâncias químicas perigosas, que permanecem no meio ambiente e que são interferentes hormonais, que modificam a maneira como os hormônios naturais atuam em nosso corpo.

O Greenpeace desafia as grandes marcas de roupas a garantirem que seus fornecedores eliminem substâncias perigosas das cadeias de suprimentos ao longo de todo o ciclo de vida de seus produtos. Esta é uma lista de produtos químicos prioritários que as marcas devem eliminar de seus produtos para que um futuro livre de tóxicos seja possível.

Clothing and the global toxic cycle

Alquilfenóis

Os compostos de alquilfenol comumente usados incluem nonilfenóis (NPs) e octilfenóis e seus etoxilados, principalmente o nonilfenol etoxilados. NPs são largamente usados na indústria têxtil em processos de limpeza e tingimento. Eles são tóxicos para a vida aquática, permanecem no ambiente, podem se acumular no tecido corporal e se bioamplificar, ou seja, aumentar sua concentração ao longo da cadeia alimentar. Sua semelhança com o estrogênio natural pode perturbar o desenvolvimento sexual de alguns organismos, causando a "feminização" de populações de peixes. NPs são rigidamente regulamentados na Europa e, desde 2005, suas principais aplicações foram banidas na União Europeia.

Os ftalatos DEHP e DBP (ftalato de dibutila) são classificados como t"óxicos para a reprodução no Europe17 e seu uso é restrito. Sob a legislação do REACH da União Europeia os ftalatos DEHP, BBP (ftalato bencílico butílico) e DBP serão banidos até 2015.

Retardadores de chama bromados e clorados

Muitos retardantes de chama bromados (BFRs) são substâncias químicas persistentes e bioacumulativas que agora estão presentes no ambiente. Éteres difenis polibromados (PBDEs) são um dos grupos mais comuns de BFRs e têm sido usados para proteger uma grande variedade de materiais, inclusive têxteis, do fogo.

Alguns PBDEs são capazes de interferir nos sistemas hormonais envolvidos no crescimento e no desenvolvimento sexual. Sob as leis da União Europeia o uso de alguns tipos de PBDE é altamente restrito e um PBDE foi listado como "substância de risco prioritário" pela legislação de águas europeia, que requer que sejam tomadas medidas para eliminar a poluição da superfície das águas.

Corantes azoicos

Corantes azoicos estão entre algumas das principais substâncias utilizadas pela indústria têxtil. No entanto, alguns deles se quebram durante o uso e liberam substâncias químicas conhecidas como aminas aromáticas, algumas das quais capazes de causar câncer. A União Europeia baniu o uso de corantes causadores de câncer em têxteis que entram em contato com a pele humana.

Compostos organoestânicos

Compostos organoestânicos são utilizados em biocidas e como agentes antifúngicos em uma grande variedade de bens de consumo. Na indústria têxtil têm sido usados em meias, sapatos e roupas esportivas para prevenir o odor ocasionado pela liberação de suor.

Um dos compostos de organoestânicos mais conhecidos é o tributilestanho (TBT), utilizado em têxteis e presente nas tintas antiincrustantes para navios, foi banido depois de aparecerem evidências de que ele permanece no ambiente, se acumula no corpo e pode afetar os sistemas imunológico e reprodutivo. Hoje, seu uso como tinta antiincrustante é largamente proibido.

De acordo com a regulamentação da União Europeia, o TBT é listado como uma substância prejudicial prioritária que precisa ser eliminada para evitar a poluição das águas da Europa. Produtos de julho de 2010 a janeiro de 2012, incluindo bens de consumo, que contêm mais de 0,1% de determinados tipos de compostos organoestânicos serão banidos em toda a União Europeia.

Substâncias químicas perfluoradas

As substâncias químicas perfluoradas (PFCs) são compostos feitos pelo homem amplamente usados pela indústria por suas propriedades antiaderentes e de repelência à água. Na indústria têxtil são usados para fazer produtos têxteis e de couro à prova de água e manchas.

As evidências mostram que muitos PFCs permanecem no ambiente e podem se acumular no tecido corporal e biomagnificar (aumentar os níveis) por meio da cadeia alimentar. Uma vez no corpo alguns podem afetar o fígado e agir como interferentes hormonais, alterando níveis de hormônios de crescimento e reprodução.

As evidências mostram que muitos PFCs permanecem no ambiente e podem se acumular no tecido corporal e biomagnificar (aumentar os níveis) por meio da cadeia alimentar. Uma vez no corpo alguns podem afetar o fígado e agir como interferentes hormonais, alterando níveis de hormônios de crescimento e reprodução.

Clorobenzenos

Clorobenzenos são substâncias químicas persistentes e bioacumulativas que têm sido usadas como solventes e biocidas na fabricação de corantes e como produtos químicos intermediários. Os efeitos da exposição a esse componente dependem do tipo de clorobenzeno; no entanto, eles geralmente afetam o fígado, a tireoide e o sistema nervoso central. O hexaclorobenzeno (HCB), produto químico mais tóxico e persistente deste grupo, também é um interferente hormonal.

Na União Europeia, o pentaclorobenzeno e o HCB são classificados como "substâncias prejudiciais prioritárias" por regulamento que requer que sejam banidas para eliminar a contaminação da superfícies das águas europeias. Eles também são listados como ‘poluentes orgânicos persistentes’ para restrição global pela Convenção de Estocolmo, além de serem proibidos ou marcados para redução do uso e eventual eliminação na Europa.

Solventes clorados

Solventes clorados, como o tricloroetano (TCE), são usados pelas fabricantes de têxteis para dissolver outras substâncias durante a manufatura e para limpar as fábricas. TCE é uma substância destruidora de ozônio que pode persistir no ambiente. Também é conhecida por afetar o sistema nervoso central, fígado e rins. Desde 2008, a União Europeia restringiu severamente o uso do TCE nos produtos e na limpeza das fábricas.

Clorofenóis

Clorofenóis são um grupo de substâncias químicas usadas como biocidas em uma grande variedade de aplicações, de pesticidas a conservantes de madeira e têxteis. O pentaclorofenol (PCP) e seus derivativos são usados como biocidas na indústria têxtil. O PCP é altamente tóxico para humanos e pode afetar muitos órgãos do corpo, sendo também tóxico para organismos aquáticos. A União Europeia baniu a produção de produtos contendo PCP em 1991 e agora também restringe severamente a venda e o uso de todos os bens que o contêm.

Parafinas cloradas de cadeia curta

Parafinas cloradas de cadeia curta (SCCPs) são usadas na indústria têxtil como retardadores de chama e agentes finalizadores para couro e têxteis. Elas são altamente tóxicas para organismos aquáticos, não se quebram prontamente no meio ambiente e têm um alto potencial para se acumular em organismos vivos. Seu uso foi restrito em algumas aplicações na União Europeia desde 2004.

Metais pesados: cádmio, chumbo, mercúrio e cromo (VI)

Metais pesados como cádmio, chumbo e mercúrio, foram utilizados em certos corantes e pigmentos usados em têxteis. Esses metais podem se acumular no corpo com o passar do tempo e são altamente tóxicos, com efeitos irreversíveis que incluem danos ao sistema nervoso (chumbo e mercúrio) ou aos rins (cádmio). Também é sabido que o cádmio causa câncer.

Os usos do cromo (VI) incluem determinados processos têxteis e de tingimento de couro: é altamente tóxico até em baixas concentrações, inclusive para muitos organismos aquáticos. Na União Europeia o cádmio, mercúrio e chumbo foram classificados como ‘substâncias prejudiciais prioritárias’ por regulamentos que requerem medidas a serem tomadas para eliminar sua poluição da superfície das águas na Europa. A utilização do cádmio, mercúrio e chumbo foi severamente restrita na Europa por algum tempo, incluindo certos usos específicos das substâncias em têxteis.

Tópicos