2º Ranking de Supermercados (2009)

  • Introdução
  • Quem melhorou
  • Quem não se preocupou
  • Em 2008

Em 2009

A Greenpeace volta a comparar as políticas de compra dos principais grupos de distribuição alimentar para revelar quem tem feito um esforço maior para oferecer produtos de peixe sustentável aos consumidores.

É de realçar que embora já tenham sido dados alguns passos fundamentais para melhorar a oferta de peixe sustentável, a maioria das grandes superfícies ainda vende espécies de peixe presentes na Lista Vermelha da Greenpeace. Estas espécies estão ameaçadas pela pesca excessiva e/ou são capturadas por métodos que destroem o ecossistema marinho, razão pela qual é indispensável continuar a trabalhar com os supermercados para proteger os recursos marinhos dos nossos oceanos e assegurar o futuro da indústria da pesca.

Quem melhorou

O Lidl e a Sonae evoluíram consideravelmente e estão hoje em franca vantagem em relação às outras cadeias. Desde o ano passado, os dois grupos entraram em diálogo com a Greenpeace e ambos já desenvolveram políticas escritas de compra de peixe. É de realçar que a Sonae subiu de último para segundo lugar no ranking de supermercados.

As duas empresas ainda não atingiram os níveis de sustentabilidade exigidos pela Greenpeace para serem classificados a verde, tanto o Lidl como a Sonae continuam a trabalhar com a organização para melhorar e implementar gradualmente o compromisso assumido de oferecer aos seus consumidores peixe sustentável, responsável e legal.

Quem não se preocupou

Os Mosqueteiros, Auchan e Jerónimo Martins estão muito longe de mostrar uma abordagem responsável em relação aos produtos de peixe que vendem. Nenhum dos grupos respondeu aos diversos pedidos enviados pelos seus consumidores para que entrem em contacto com a Greenpeace e nenhum forneceu as informações requeridas pela organização para avaliar as suas políticas de compra e venda de peixe.

A falta de transparência, aliada à grande quantidade de espécies da Lista Vermelha da Greenpeace que se encontra à venda nestas superfícies e à ausência de um sistema de etiquetagem eficaz, reflete-se neste segundo ranking. É urgente que Os Mosqueteiros, Auchan e Jerónimo Martins mostrem a sua preocupação pela actual crise dos oceanos e assumam a responsabilidade de adoptar uma política de compra que garanta aos seus consumidores peixe sustentável no futuro.

Em 2008

Em agosto de 2008, a Greenpeace chumbou as cinco maiores cadeias de supermercados em Portugal depois de concluir que nenhum possuía uma política de compra de peixe sustentável. Desde o lançamento do primeiro ranking, a organização entrou em diálogo com alguns dos grupos económicos, como o Lidl e a Sonae, que aceitaram o desafio da Greenpeace e têm progressivamente adoptado medidas para garantir que todos teremos peixe no futuro.

Ranking 2009

Legenda da tabela:

  • a - Política de compra e venda de peixe sustentável
  • b - Retirar os produtos piscícolas insustentáveis ou ilegais
  • c - Apoiar os produtos piscícolas sustentáveis
  • d - Traçabilidade dos produtos piscícolas *
  • e - Etiquetagem dos produtos piscícolas
  • f - Venda de espécies da Lista Vermelha da Greenpeace
  • g - Transparência e informação aos consumidores
  • h - Classificação total

Ranking de supermercados da Greenpeace

Ranking 2009

Política de compra e venda de peixe sustentável
Retirar os produtos piscícolas insustentáveis ou ilegais
Apoiar os produtos piscícolas sustentáveis
Traçabilidade dos produtos piscícolas *
Etiquetagem dos produtos piscícolas
Venda de espécies da Lista Vermelha da Greenpeace
Transparência e informação aos consumidores
Classificação total
Supermercados a b c d e f g h
Lidl 50% 21% 33% 50% 60% 100% 46% 51%
Continente
Modelo
25% 27% 50% 29% 60% 25% 46% 37%
Intermarché
Ecomarché
00% 00% 00% 00% 19% 50% 00% 10%
Jumbo
Pão de Açúcar
00% 09% 00% 13% 15% 25% 00% 09%
Pingo Doce
Feira Nova
00% 00% 00% 00% 19% 25% 00% 06%

*garantir que os nenhum dos produtos piscícolas vendidos provém de pesca ilegal não-declarada e não-regulamentada


 Significado das classificações

Significado das classificações
> 70% Possui uma política de compra de peixe aceitável que deve ser respeitada e melhorada no futuro.
< 70%> 40% Foram tomadas medidas relativas a uma política de compra de peixe sustentável, mas são necessárias acções mais concretas para que atinja um nível aceitável.
< 40% É necessário agir urgentemente para melhorar a política de compra de peixe.

Observações:

A Greenpeace esclarece que para a classificação do ranking são tidos em consideração:

  • aspectos da política de peixe sustentável que estejam comprovadamente implementados
  • alegações que possam ser igualmente comprovadas por documentos que devem ser facultados à Greenpeace

Estas condições são imprescindíveis para que seja possível diferenciar as promessas das efetivas implementações dos compromissos estabelecidos entre a Greenpeace e a empresa em questão.

Sabia que:

Grande parte dos nossos recursos marinhos estão quase extintos?

Aproximadamente 90% dos stocks de peixes predadores de grande dimensão já foram capturados, incluindo espécies como o atum, peixe espada, bacalhau e linguado.

A pesca de arrasto de profundidade destrói em cada segundo uma área do fundo do mar equivalente a 10 campos de futebol?

Imagine o desbravar completo de uma floresta tropical inteira para apanhar meia-dúzia de coelhos – isto é a pesca de arrasto de profundidade, um métodos de captura de peixe mais destrutivos e menos selctivos.

A pesca pirata é um problema que afecta quase todos os oceanos do mundo?

Estimativas indicam que existem cerca de 1300 navios piratas nos nossos mares a pescar ilegal e indiscrimadamente. Pesca pirata é o nome dado pela Greenpeace à pesca ilegal, não reportada ou não regulamentada (IUU).

Os portugueses são dos maiores consumidores de peixe per capita do mundo?

Os portugueses consumem mais de 1,047 milhões de Euros por ano em peixe, dos quais mais de 70% são gastos nas grandes superfícies.

Até hoje apenas foi investigado cientificamente 0.0001 por cento do fundo do mar?

A grande maioria das 500.000 a um milhão de espécies que habita o fundo do mar ainda não foi descoberta . É fundamental proteger estas maravilhas dos oceanos antes que desapareçam sem que nunca tenhamos tido oportunidade de as conhecer.


Novidades

 

A “Loja do peixe” ambulante viajou com a equipa por todo o país

Fotografia | 30. Outubro, 2009 em 23:00

A “Loja do peixe” ambulante viajou com a equipa por todo o país para mostrar aos consumidores algumas das espécies de profundidade à venda nos supermercados portugueses. A Greenpeace lança o alerta que o valor destes peixes de crescimento lento e...

Exposição informativa da Greenpeace sobre a destruição do fundo dos oceanos

Fotografia | 30. Outubro, 2009 em 23:00

Exposição informativa da Greenpeace sobre a destruição que está a acontecer no fundo dos oceanos em alto mar foi montada na Praça do Rossio, em Aveiro. Todos os dias, navios de pesca industrial lançam as redes a grande profundidade - mais de 2...

Peixe vermelho capta o interesse e a simpatia de crianças e adultos

Fotografia | 30. Outubro, 2009 em 23:00

Este boneco simpático capta o interesse e a simpatia de crianças e adultos. Para garantirmos que todos temos peixe no futuro é necessário adoptar medidas urgentes para proteger a vida marinha do planeta.

Peixe vermelho é símbolo de todas as espécies marinhas ameaçadas

Fotografia | 30. Outubro, 2009 em 23:00

O peixe vermelho e triste da Greenpeace é o símbolo de todas as espécies de peixe ameaçadas ou capturadas com métodos de pesca destrutivos. Algumas das espécies de peixes de profundidade que encontramos à venda em Portugal são o tamboril, o...

Activista da Greenpeace junto do Continente de Faro

Fotografia | 30. Outubro, 2009 em 23:00

Activista da Greenpeace está junto à área onde são guardados os carrinhos de supermercado do Continente de Faro. A Greenpeace esteve no local a informar os consumidores sobre a destruição do fundo dos oceanos, causada pela pesca industrial em...

Activista da Greenpeace à porta de um supermercado Pingo Doce em Setúbal

Fotografia | 30. Outubro, 2009 em 23:00

Activista da Greenpeace à porta de um supermercado Pingo Doce em Setúbal. Durante quinze dias, os activistas sensibilizaram mais de 3.500 consumidores para passar um “cartão vermelho” à pesca de arrasto e assinar uma petição aos retalhistas a...

Onze organizações não-governamentais de ambiente enviaram um apelo conjunto ao...

Fotografia | 30. Outubro, 2009 em 23:00

No dia 16 de Outubro, onze organizações não-governamentais de ambiente enviaram um apelo conjunto ao Governo português para que apoie o fim da pesca destrutiva em alto mar na reunião da Assembleia Geral das Nações Unidas, em Novembro próximo.

Campanha Oceanos em Perigo é simbolicamente lançada em Lisboa

Fotografia | 30. Outubro, 2009 em 23:00

A campanha Oceanos em Perigo foi simbolicamente lançada em Lisboa, a bordo de um antigo arrastão a vapor - o Príncipe Perfeito - que foi entretanto foi reformado e funciona agora um simpático barco turístico. É urgente reformar as práticas de...

Activistas da Greenpeace no supermercado Continente do Porto

Fotografia | 30. Outubro, 2009 em 23:00

Os activistas estiveram a informar os consumidores portugueses sobre a destruição do fundo dos oceanos em alto mar causada pela pesca industrial.

Greenpeace mobiliza milhares de portugueses para salvar oceanos profundos

Artigo | 30. Outubro, 2009 em 23:00

Durante duas semanas, uma equipa imparável de activistas da Greenpeace lançou o alerta para a destruição dos oceanos profundos em oito cidades portuguesas, investigou as peixarias de trinta supermercados e mobilizou milhares de portugueses para...

51 - 60 de 318 resultados.