Rastreabilidade do pescado – combater a pesca pirata

Página - 6. Maio, 2010

Rastreabilidade do pescado – combater a pesca pirata

Usa o cursor para ver mais pormenores neste gráfico

Supermarket 1
Supermarket 2
Supermarket 3
Supermarket 4
Supermarket 5
Supermarket 6

Lidl 56% 

O Lidl exige a rastreabilidade do pescado até ao barco (para o peixe selvagem) e até ao viveiro (para o peixe de aquacultura).

Adicionalmente, os fornecedores têm que provar que o peixe é legal e foi capturado dentro das quotas definidas para a zona. Os fornecedores que usam navios ou operadores listados nas listas negras da NAFO (Northwest Atlantic Fisheries Organization) e NEAFC (North East Atlantic Fisheries Commission) são automaticamente excluídos das operações comerciais. No futuro, o Lidl quer incorporar no contrato com fornecedores a proibição de transbordos no mar.

O cumprimento das medidas contempladas na política de rastreabilidade do Lidl é auditado todos os anos por uma entidade externa.

Esconder este texto

Continente e Modelo 38%

O ponto forte da política da Sonae é o compromisso claro de eliminar o pescado ilegal e terminar as relações comerciais com todos os fornecedores suspeitos ou documentados de praticar a pesca ilegal.

A nova política da Sonae exige garantias para evitar peixe ilegal, através da exclusão de todos os fornecedores que com ligações a operadores ou navios constantes nas listas negras oficiais e na lista negra da Greenpeace. A política contempla ainda a verificação anual do cumprimento deste critério.

Esconder este texto

Intermarché 0% 

A empresa mãe apenas afirma que obedece à regulamentação para o sector.

O simples cumprimento da regulamentação para o sector significa, na prática, que não existe uma preocupação acrescida em verificar se o peixe vendido é ilegal,proveniente de zonas sem gestão ou sujeito a transbordos no mar.

Actualmente, este grupo só exige a rastreabilidade até ao navio de captura para os seus produtos com selo 'Pesca responsável' (ou seja, produtos oriundos dos barcos da sua associada Scapêche).

A Greenpeace alerta que sem medidas de verificação da origem do peixe, não é possível excluir com segurança o pescado mais insustentável ou ilegal.

Esconder este texto

Jumbo e Pão de Acúcar 16%

A Auchan ainda não desenvolveu um sistema de rastreabilidade e este critério continua pouco realçado na sua política de compra de pescado.

A Greenpeace considera prioritária a adopção de medidas de verificação da origem do peixe para que o pescado mais insustentável ou capturado ilegalmente seja excluído com segurança.

Esconder este texto

Pingo Doce e Feira Nova 0% 

A empresa não apresenta nenhuma informação nos seus sites ou nas suas lojas a indicar que este é um critério que a preocupa..

A empresa não apresenta nenhuma informação nos seus websites ou lojas que indique que esta se preocupa em apurar a origem e proveniência dos seus produtos de pesca. A Greenpeace considera prioritário adoptar medidas de verificação da origem do peixe, de forma a poder excluir com segurança o pescado mais insustentável ou ilegal.

Esconder este texto

Minipreço 3%

O ponto mais forte da política de pescado responsável do grupo Dia é o compromisso claro de combater a pesca ilegal. No entanto, ainda não foram apresentadas as medidas para concretizar este objectivo.

O grupo Dia assume um compromisso na sua política de pescado responsável de colaborar no combate à pesca ilegal, fazendo diligências a nível político e implementando um sistema de rastreabilidade e referenciação dos produtos.

Infelizmente, o objectivo de total rastreabilidade da empresa não vai para além do momento de descarregamento do peixe nos portos. A Greenpeace alerta para a importância de incluir na informação exigida o nome do barco, zona e data de captura. A organização realça que é fundamental definir o sistema de rastreabilidade do pescado que será adoptado para que a rastreabilidade dos produtos seja verdadeiramente eficaz.

Esconder este texto

Este critério mede o sistema de rastreabilidade adoptado pelos supermercados afim de garantir que vendem apenas peixe cuja origem possa ser comprovadamente rastreada até ao navio e que não pactuam com práticas de pesca ilegais.

Os supermercados devem exigir a rastreabilidade do pescado a 100%, de forma a garantir que não vendem peixe proveniente de pescarias não controladas, de navios e / ou operadores que integrem listas negras oficiais ou que tenha sido sujeito a transbordos ilegais. A rastreabilidade é fundamental para acabar com a pesca ilegal, não regulamentada e não declarada (IUU).

Esconder este texto

Entra em acção:

Pressiona os supermercados para que melhorem o seu desempenho neste critério

Quando comprares um produto de pesca em que não esteja indicado o método e zona de captura, questiona o empregado da secção de peixaria e pede para que estas informações sejam colocadas nas etiquetas

Sempre que encontrares catálogos de supermercados com produtos do mar que não especifiquem zona e método de captura, solicita essa informação ao serviço de apoio ao cliente

Exige aos fornecedores que coloquem informações sobre o método e zona de captura do peixe nas embalagens dos produtos e adianta um prazo para que este requisito seja cumprido

A protecção dos oceanos é da responsabilidade de todos nós!.

Que significam as percentagens?
100%
70%
Possui uma política de compra de peixe aceitável que deve ser respeitada e melhorada no futuro.
70%
40%
Foram tomadas medidas relativas a uma política de compra de peixe sustentável, mas são necessárias acções mais concretas para que atinja um nível aceitável.
40%
0%
É necessário agir urgentemente para melhorar a política de compra de peixe.